Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Lira critica governadores e cobra Senado por alta no preço da gasolina

‘Câmara tratou do projeto que mitigava os efeitos dos aumentos dos combustíveis. Enviado para o Senado, virou patinho feio’, escreveu o deputado no Twitter

Por Rafael Moraes Moura Atualizado em 16 jan 2022, 16h29 - Publicado em 16 jan 2022, 16h13

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), usou neste domingo, 16, as redes sociais para criticar a postura do Senado e de governadores envolvendo a alta no preço dos combustíveis.  Um dos líderes do Centrão, grupo que dita as cartas no Congresso, Lira destacou que a Câmara aprovou uma proposta de alteração nas regras de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para tentar conter a alta no preço da gasolina, mas o texto não avançou entre os senadores. 

“A Câmara tratou do projeto de lei que mitigava os efeitos dos aumentos dos combustíveis. Enviado para o Senado, virou patinho feio e Geni da turma do mercado”, escreveu Lira no Twitter. “Diziam que era intervencionista e eleitoreira. Agora, no início de um ano eleitoral, governadores, com Wellington Dias (governador do Piauí) à frente, cobram soluções do Congresso. Com os cofres dos Estados abarrotados de tanta arrecadação e mirando em outubro, decidiram que é hora de reduzir o preço”, acrescentou.

Lira frisou que os governadores poderiam ter feito mais pressão no ano passado. “Por isso, lembro  aqui a resistência dos governadores em reduzir o ICMS na ocasião. Registro também que fizemos nossa parte. Cobranças, dirijam-se ao Senado”, finalizou. Na semana passada, por maioria de votos, os governos estaduais decidiram encerrar o congelamento do ICMS sobre os combustíveis, que vigorava desde novembro. O entendimento foi firmado em reunião do Comitê Nacional dos Secretários Estaduais de Fazenda (Comsefaz).

Em nota, Wellington Dias afirmou que a proposta defendida por Lira foi apresentada “sem qualquer diálogo ou base técnica”, “não resolve” o problema “e ainda causa desequilíbrio a Estados e municípios.” “Basta examinar o tamanho do lucro da Petrobras para saber quem está ganhando nesta falta de entendimento”, provocou o petista.

Procurada por VEJA, a assessoria do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), informou que não se manifestaria.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês