Clique e assine a partir de 9,90/mês

Lava Jato: Ricardo Pessoa vai pagar R$ 51 mi por crimes

Empreiteiro dá como garantias de pagamento da multa compensatória um jatinho de luxo e um imóvel milionário em Mogi das Cruzes (SP)

Por Laryssa Borges - 3 set 2015, 11h17

O empreiteiro Ricardo Pessoa, que se tornou um dos principais delatores contra políticos envolvidos no escândalo do petrolão, vai pagar 51 milhões de reais como “multa compensatória” por participação nos crimes investigados na Operação Lava Jato. Dono da UTC e chefe do “Clube do Bilhão”, Pessoa fechou o acordo de colaboração premiada em 13 de maio, mas parte de seus depoimentos ainda está sob sigilo e deve motivar uma nova leva de inquéritos a serem apresentados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal.

Conforme revelou VEJA, o empreiteiro Ricardo Pessoa contou em seu acordo de delação premiada que foi persuadido “de maneira bastante elegante” pelo atual ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, a contribuir com a campanha petista de 2014. A abordagem lhe custou 10 milhões de reais para a campanha de Dilma. Um servidor do Palácio chamado Manoel de Araújo Sobrinho acertou os detalhes dos pagamentos diretamente com Pessoa. Documentos entregues pelo empresário mostram que foram feitos dois depósitos de 2,5 milhões de reais cada um, em 5 e 30 de agosto de 2014. Depois dos pagamentos, Sobrinho acertou com o empreiteiro o repasse de outros 5 milhões de reais para o caixa eleitoral de Dilma. Pessoa entregou metade do valor pedido e se comprometeu a pagar a parcela restante depois das eleições. Só não cumpriu o prometido porque foi preso antes.

No acordo de delação, o empreiteiro deu como garantia para o pagamento dos 51 milhões de reais um lote em Mogi das Cruzes (SP) estimado em 23 milhões de reais e um jatinho Cessna Citation Sovereign modelo C680, avaliado em 30 milhões de reais. Ricardo Pessoa teve cerca de 12 milhões de reais bloqueados por ordem do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, e parte desses valores – 5 milhões de reais – será utilizada para o pagamento da primeira parcela do acordo. A quitação dos outros 46 milhões de reais será dividida em uma parcela de 5 milhões de reais a ser paga no final de novembro, 39 parcelas de 1 milhão de reais cada a serem pagas a partir de janeiro de 2016 e uma última fração no valor de 2 milhões de reais.

Por ser colaborador da Justiça, o empreiteiro cumprirá até dois anos em regime domiciliar diferenciado, sendo obrigado a prestar serviços à comunidade, utilizar tornozeleira eletrônica, informar previamente o juiz sobre viagens ao exterior para tratamento de saúde e ficar longe de casas de jogo e de prostituição.

Publicidade