Clique e assine a partir de 9,90/mês

Lava Jato denuncia Cabral pela 30ª vez, agora por sonegação de R$ 10 mi

Ex-governador 'dissimulava a aquisição dos seus bens mediante diversos atos de lavagem de dinheiro', alega a Procuradoria

Por Estadão Conteúdo - 25 set 2019, 21h45

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB) pela 30ª vez, agora por sonegação fiscal de 10.402.040,91 de reais. A evolução patrimonial de Cabral seria “desproporcional” ao informado em suas declarações de Imposto de Renda de 2013, 2014 e 2015, diz a Procuradoria.

Sérgio Cabral está preso desde novembro de 2016. Ele já foi condenado em dez ações criminais a penas que somam 233 anos e onze meses de reclusão. O MPF indicou que o processo de auditoria das declarações de Cabral teve início após as ações ajuizadas no âmbito da Lava Jato, que apontavam a “ocultação de patrimônio” realizada pelo ex-governador.

Cabral também teria ocultado cerca de 80 milhões de dólares no exterior, diz a Procuradoria. A denúncia também reforça que o ex-governador dissimulava a aquisição dos seus bens mediante diversos atos de lavagem de dinheiro, como a aquisição de joias de altíssimo valor, roupas, embarcação, custeio de aluguéis e funcionários, blindagem de veículos, fretamento de helicópteros e viagens internacionais.

Alguns dos bens de Cabral foram a leilão no Rio de Janeiro por ordem do juiz federal Marcelo Bretas, entre elas a lancha do ex-governador batizada de “Manhattan Rio”, avaliada em R$ 2,3 milhões.

Continua após a publicidade

A defesa do ex-governador não se manifestou até a publicação desta reportagem.

Publicidade