Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça Eleitoral suspende depoimento de dono da UTC

Ricardo Pessoa se nega a depor no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sobre suspeitas contra a campanha da presidente Dilma Rousseff

A Justiça Eleitoral suspendeu nesta terça-feira o depoimento do delator do petrolão Ricardo Pessoa, chefe do “clube do bilhão” e dono da UTC Engenharia. Pessoa iria depor na ação que pode resultar na cassação do mandato da presidente da República, Dilma Rousseff.

Pessoa compareceu ao Tribunal Regional Eleitoral em São Paulo (TRE-SP) nesta terça, mas se negou a responder aos questionamentos por orientação de seus advogados para evitar quebra de sigilo de informações de sua delação na Operação Lava Jato. Ele firmou acordo de colaboração premiada com o Ministério Público – o texto já foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal, mas a íntegra segue protegida.

Leia mais:

Exclusivo: as provas que Ricardo Pessoa entregou à Justiça

Pessoa iria depor como testemunha no âmbito de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) contra a presidente Dilma e seu vice-presidente, Michel Temer (PMDB), proposta pelo PSDB e pela Coligação Muda Brasil, do então candidato tucano Aécio Neves. O relator é o ministro corregedor João Otávio de Noronha, do Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília. A Corregedoria-Geral Eleitoral deve tentar marcar um novo depoimento de Pessoa.

O dono da UTC cumpre prisão domiciliar na capital paulista e foi liberado para depor pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba (PR). Pessoa chegou ao TRE-SP em um carro da Polícia Federal, acompanhado de seus defensores.

Também seriam ouvidos na mesma ação, nesta semana, os ex-dirigentes do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Marcelo Côrtes Neri e Rogério Boueri Miranda. Eles iriam falar sobre a suspeita de que o Ipea represou a divulgação de dados desfavoráveis ao governo federal durante a campanha, mas houve desistência das oitivas.