Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Iris Rezende é eleito prefeito de Goiânia pela 4ª vez

O peemedebista foi está eleito com 57% dos votos. Ele disputava o posto com o candidato do PSB Vanderlan Cardoso

Por Marcela Mattos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 30 out 2016, 20h43 - Publicado em 30 out 2016, 19h02

Aos 82 anos, Iris Rezende (PMDB) foi eleito neste domingo prefeito de Goiânia (GO) pela quarta vez. O peemedebista liderou as principais pesquisas de opinião durante toda a disputa e consagra-se agora como o político que mais foi eleito ao Paço Municipal na história da capital.

Com 100% das urnas apuradas, Iris Rezende foi eleito o próximo prefeito com 57,7% dos votos (379.318 votos). Ele disputava o posto com o candidato do PSB Vanderlan Cardoso, que registrou 42,3% dos votos (278.074 votos) e substituirá o petista Paulo Garcia, um dos prefeitos mais mal avaliados do país e que foi seu vice na eleição de 2008. Ao todo, 7% dos eleitores de Goiânia optaram por anular seus votos e 2% votaram em branco. Vinte e quatro porcento se abstiveram.

O peemedebista é um dos maiores caciques de Goiás e já transitou pelos principais cargos eletivos: foi, além de prefeito, governador, senador, deputado estadual e vereador. Em Brasília, chegou ao alto escalão dos governos José Sarney e Fernando Henrique Cardoso como ministro da Agricultura e da Justiça.

Nas eleições de 2014, no entanto, ele sofreu uma das principais derrotas da carreira, quando perdeu a disputa do governo de Goiás para o tucano Marconi Perillo. Após o revés, o peemedebista jurou que abandonaria a política. No entanto, pouco antes do início oficial da campanha deste ano, Iris Rezende anunciou que ingressaria no pleito. Agora, ele terá de sentar-se à mesa com seu então adversário para negociar recursos e questões administrativas para a capital.

Continua após a publicidade

O novo prefeito de Goiânia recebeu quase 1 milhão de reais na disputa deste ano – 300.000 reais vieram da direção nacional do PMDB.

Ao longo da campanha, ele buscou aproximar-se das camadas mais humildes e prometeu retomar uma de suas principais marcas: um modelo de construção em massa, os chamados mutirões. Depois de abandonar a prefeitura no meio do mandato, em 2010, Iris Rezende agora promete ficar até o último dia e cumprir a gestão “mais bela” da vida dele. Adversários, porém, duvidam e preveem que o peemedebista deixe o posto em 2018 para tentar, mais uma vez, ser governador.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.