Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Ibaneis, do MDB, sobe 11 pontos em um mês e embaralha eleição no DF

Advogado com maior patrimônio entre os candidatos ao governo já colocou 2,2 milhões de reais do próprio bolso em campanha; crescimento assusta adversários

Por Estêvão Bertoni 20 set 2018, 16h20

O candidato do MDB ao governo do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, que antes estava na lanterna da corrida eleitoral, subiu onze pontos percentuais em um mês, passou de quinto para o terceiro lugar no período e embolou uma briga local que já vinha sendo acirrada, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (20).

A favorita segue sendo Eliana Pedrosa (Pros), com 20% das intenções de voto, ante 18% do levantamento anterior. Abaixo dela, quatro candidatos estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro de três pontos percentuais.

Alberto Fraga (DEM), que cresceu quatro pontos percentuais, de 10%, no início deste mês, para 14%, aparece em segundo lugar. No levantamento anterior, estava em quarto.

Ibaneis vem na sequência, colado a ele. O emedebista apresentou o maior crescimento das eleições do DF até aqui. Inicialmente com 2% em agosto, ele subiu para 4% no início de setembro e agora tem 13%.

O atual governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), está agora em quarto lugar (antes, estava em segundo). Caiu de 15% para 12%. Rogério Rosso (PSD), que caiu de 12% para 11%, aparece em quinto.

Continua após a publicidade
  • Entre os onze candidatos ao governo, Ibaneis é o que tem o maior patrimônio declarado: 94 milhões de reais, quase vinte vezes o patrimônio do segundo com mais bens, Alberto Fraga, que declarou possuir 4,8 milhões de reais. Advogado, Ibaneis já presidiu a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) no DF.

    Gastos de campanha

    Até aqui, o emedebista já colocou 2,2 milhões do próprio bolso na campanha e é o segundo candidato que mais gastou, atrás apenas de Rodrigo Rollemberg, cujas despesas de campanha já ultrapassam 3,7 milhões de reais. Os dados estão disponíveis no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

    Seu investimento na campanha parece ter surtido efeito e já causa preocupação nos adversários, que temem que ele cresça numa onda difícil de ser parada, como aconteceu no DF em 2014. Naquele ano, Rollemberg, que estava em segundo no início das pesquisas, saltou de 15% para 36%, do final de julho para o início de outubro. Ele acabou eleito.

    Ibaneis é também o candidato com a menor taxa de rejeição entre todos os postulantes ao governo local: 17%. O atual governador é o mais rejeitado, com 52%.

    A pesquisa Datafolha ouviu 914 pessoas entre 18 e 19 de setembro. Registrado sob o número DF-05089/2018, o levantamento foi encomendado pelo jornal “Folha de S.Paulo” e pela TV Globo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade