Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Haddad inaugura campanha com debate sobre educação e visita a Lula

Candidato a vice foi ministro da área nos governos petistas entre 2005 e 2012; reunião com o candidato oficial ao Planalto será para alinhar estratégias

Por Guilherme Venaglia 16 ago 2018, 11h09

Candidato do PT a vice-presidente da República, Fernando Haddad inaugura a campanha do partido nesta quinta-feira (16) com um debate sobre educação e uma visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato da legenda ao Planalto, na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Como Lula está preso, cumprindo pena de doze anos e um mês pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Haddad foi o escalado para ser o “representante” da candidatura do ex-presidente. Na prática, ele é visto nos bastidores como o “plano B”, que o partido colocará na rua se e quando Lula tiver a candidatura vetada pela Justiça Eleitoral.

O primeiro compromisso de Haddad é um debate sobre educação promovido pelo movimento Todos Pela Educação (TPE). Trata-se de um compromisso importante, já que ele foi ministro da área por sete anos, entre 2005 e 2012, nos governos de Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff e esse deve ser um ativo importante na divulgação do seu nome quando a hora de assumir a chapa chegar.

Batizado de “Diálogo Educação Já”, o evento do TPE é uma série de sabatinas para que candidatos apresentem propostas para a área. Antes de Haddad, os candidatos Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) também já participaram. Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Alvaro Dias (Podemos) ainda não chegaram a um acordo a respeito da data na qual comparecerão. Os demais não foram convidados.

Na sequência, o ex-prefeito de São Paulo viaja a Curitiba para uma reunião com Lula. Registrado como advogado do ex-presidente, Haddad tem livre acesso à sala onde o petista está preso na superintendência da PF no Paraná. Na pauta, alinhamento de discurso e estratégias de campanha. Na próxima semana, o candidato a vice viajará para a Bahia, estado onde governa o mais popular dos governadores petistas, Rui Costa.

Registro

A candidatura do PT foi registrada junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com um ato em Brasília que reuniu, segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, dez mil manifestantes, a sua maioria formada por militantes do Movimento dos Sem Terra (MST) e de outros movimentos sociais que apoiam o ex-presidente.

Batizada de “O Povo Feliz de Novo”, a coligação também é formada pelo PCdoB e pelo Pros. Segundo o discurso do partido, quando a situação de Lula estiver definida, Haddad será substituído como candidato a vice por Manuela D’Ávila (PCdoB). A comunista deve compor a chapa com qualquer que seja o presidenciável do PT, Haddad ou Lula.

Continua após a publicidade

Publicidade