Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Haddad exonera secretário de Segurança Urbana

Delegado Ítalo Miranda Junior se envolveu em uma série de desentendimentos com o prefeito da capital paulista

Depois de uma série de desentendimentos com a prefeitura de São Paulo, o secretário municipal de Segurança Urbana, delegado Ítalo Miranda Junior, foi exonerado do cargo pelo prefeito Fernando Haddad (PT). Além dele, foram afastados também o secretário-adjunto, Claudio Schefer Jimenez, e o chefe de gabinete, Fabiano Marques de Paula. Assume a pasta o ex-ouvidor da polícia de São Paulo Benedito Domingos Mariano, que atuava como o coordenador do Programa “Braços Abertos” na Cracolândia, no Centro da capital paulista.

Na semana passada, a funcionária “fantasma” Patrícia Morais foi afastada do cargo de assessora de imprensa da secretaria. Ela foi nomeada no último mês de setembro, mas nunca teria comparecido ao trabalho. A funcionária é alvo de ao menos três investigações da Controladoria-Geral do Município (CGM), e afirma que trabalhava à distância com “produção de vídeos sobre segurança”.

Além disso, o secretário, que foi nomeado para a pasta a pedido do PMDB municipal, já havia colocado como seu chefe de gabinete o administrador de empresas Eduardo Anastasi – ele foi o chefe de gabinete do então deputado estadual Coronel Ubiratan (PTB), um dos responsáveis pelo massacre do Carandiru. A nomeação causou irritação a Haddad, que o exonerou dez dias após ter sido colocado no cargo.

Outra falha que levou à exoneração de Miranda Junior foi o decreto de uma série de sigilos relativos à Guarda Civil Metropolitana (GCM), incluindo as imagens das câmeras de monitoramento da cidade e informações da central de atendimento (153).

Leia também:

Haddad deve R$ 90 milhões a empresas de ônibus

(Com Estadão Conteúdo)