Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Haddad é hostilizado ao votar: ‘Vai para Curitiba’

Prefeito minimizou críticas e atribuiu protesto a 'inclinação fascista' de eleitores. Ao acompanhar o vice Chalita, foi novamente criticado

Por Da redação 2 out 2016, 14h01

Candidato que amarga a maior rejeição do eleitorado paulistano (45%), segundo pesquisa Datafolha divulgada no sábado, o prefeito Fernando Haddad foi hostilizado neste domingo ao votar em um colégio da Zona Sul da capital paulista. Ao chegar à Brazilian International School, em Indianópolis, o petista ouviu gritos de “Vai para Curitiba” e “Seu partido acabou com o Brasil”. Ele estava acompanhado do candidato a vereador Eduardo Suplicy e do candidato a vice Gabriel Chalita.

  • O prefeito minimizou os protestos: “Vai saber o que está por trás disso. Às vezes existem pessoas com inclinação não democrática, mais pró-fascista”. Como de praxe, Haddad culpou os paulistanos pela rejeição a seu nome. O petista disse que os eleitores ainda não assimilaram o que foi feito pela sua gestão. “Tem muita coisa que não foi apresentada no primeiro turno em função da exiguidade do tempo. Nós vamos ter cinco minutos no segundo turno, o dobro do tempo que tive no primeiro. Nós vamos poder apresentar as outras realizações do governo. E, aí, nós vamos surpreender. É um contra um com tempo igual. No primeiro turno, eu tinha 20% do tempo e 80% do tempo era falando mal da gestão. Agora, vai ser meio a meio e vamos crescer muito. Pode anotar o que estou falando.”

    Pouco depois, ao acompanhar o voto de Chalita, o prefeito ouviu críticas e elogios. Um homem reclamou da “indústria da multa”, ao que Haddad respondeu: “É só respeitar o limite de trânsito”. Uma eleitora afirmou ao prefeito que votou nele em 2012, mas não o faria novamente agora. Dentro do colégio, mesários pediram para tirar foto com Haddad e Chalita. Houve também quem gritasse “Fica, Haddad”.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade