Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grupos de direitos humanos denunciam Bolsonaro em tribunal internacional

Entidades brasileiras acusam presidente de 'crime contra a humanidade' no Tribunal Penal Internacional (TPI), sediado na Holanda

Duas entidades brasileiras de defesa dos direitos humanos entraram, na quarta-feira 27, com uma representação contra o presidente Jair Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional (TPI), com sede em Haia, na Holanda. A denúncia acusa o chefe de Estado brasileiro de “incitar o genocídio e promover ataques sistemáticos contra os povos indígenas” em declarações e medidas de seu governo. 

Assinam a representação o grupo de advogados Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHu) e a Comissão Arns, associação formada por personalidades do mundo político, juristas, acadêmicos, intelectuais, jornalistas e militantes sociais, presidido pela socióloga Margarida Genevois. As entidades consideram Bolsonaro responsável por “um crime contra a humanidade”.

Integrado por representantes de diversos países, o TPI julga indivíduos acusados de crimes contra a humanidade, genocídios, crimes de guerra e de agressão. Ao receber a denúncia contra Bolsonaro, o órgão abrirá consultas para decidir se há base suficiente para iniciar uma investigação.

A Corte utiliza como base o Estatuto de Roma, instrumento jurídico internacional reconhecido por mais de 120 países – entre eles o Brasil. As penas podem chegar a condenação por prisão. Ditadores como o líbio Muammar Gadaffi já foram julgados no tribunal.

A acusação contra Bolsonaro afirma que atos do presidente brasileiro “promovem a incitação ao cometimento de genocídio contra os povos indígenas e tradicionais brasileiros, uma vez que podem intencionalmente destruir, no todo ou em parte, um grupo nacional, étnico”. Entre outros episódios, as ONGs se referem a situações ligadas à crise das queimadas da Amazônia, ocorrida às vésperas da cúpula do G7, em agosto. Na ocasião, Bolsonaro questionou dados sobre aumento de desmatamento na floresta e trocou acusações públicas com outros chefes de Estado, como o francês Emmanuel Macron.

“Desde o início de seu governo, o presidente Jair Bolsonaro incitou violações e violência contra populações indígenas e tradicionais, enfraqueceu instituições de controle e fiscalização, demitiu pesquisadores laureados de órgãos de pesquisa e foi flagrantemente omisso na resposta aos crimes ambientais na Amazônia, entre outras ações que alçaram a situação a um ponto de alerta mundial”, diz a denúncia assinada pelas entidades.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Moris Litvak

    Pura palhaçada

    Curtir

  2. Rubens Baptistella

    Como diria meu avô: Vão carpi um lote! E o derramamento de óleo nas costas nordestinas? Não vão pedir o esclarecimento? Punição para os autores? Cambada de vadios!!!

    Curtir

  3. Paulo Carmesini

    Esse Grupo dos direitos Humanos estão com muita pressa em derrubar um governo que não rouba. Porque esse grupo não denunciou a roubalheira dos anos petistas, esse sim foram crimes contra a humanidade, que deixou milhões sem emprego, sem saúde e sem esperança em dias melhores? Esperem que a próxima eleição é em 2022. Depois se dizem democráticos.É uma piada.

    Curtir

  4. Jonas Viinsky

    Eu já havia comentado sobre essa denúncia do TPI a meses atrás , pois esse psicopata deve ser preso o mais rápido possível ele é um louco varrido

    Curtir

  5. Paulo Bandarra

    Os direitos humanos se desmoralizam ainda mais ao usar chicana política.

    Curtir

  6. Cléo Lacerda

    Absoluta falta do que fazer.

    Curtir