Clique e assine a partir de 8,90/mês

‘Grupo Econômico Gamecorp’ recebeu créditos de R$ 287 milhões em 12 anos

Se forem consideradas operações entre empresas e sócios do mesmo grupo, créditos chegam a 1,1 bilhão de reais

Por Hugo Marques - Atualizado em 10 dez 2019, 21h08 - Publicado em 10 dez 2019, 20h50

Laudo da Polícia Federal mostra que o ‘Grupo Econômico Gamecorp’ recebeu créditos de 287 milhões de de reais entre 2004 e 2016. Esta soma foi feita com base na quebra de sigilo bancário das empresas de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, e de seu sócio, Jonas Suassuna. Estes 287 milhões são os chamados créditos efetivos, originados de fontes externas.

Se forem considerados os chamados créditos “não efetivos”, incluídos os originados de empresas ou sócios do mesmo conglomerado econômico, os créditos nas contas das empresas do ‘Grupo Econômico Gamecorp’ somam 1,1 bilhão de reais.

As empresas que mais transferiram créditos para ‘Grupo Econômico Gamecorp’ foram TNL PCS, com 90 milhões de reais, Movile Internet Móvel, com 40 milhões de reais, e Oi Móvel, com 18 milhões. O ‘Grupo Econômico Telemar/Oi’ remeteu 132 milhões de reais para o ‘Grupo Econômico Gamecorp’ no período.

A Polícia Federal identificou créditos sem identificação de origem no valor de 11,5 milhões de reais nas contas do ‘Grupo Econômico Gamecorp’. Desse total, 7,7 milhões entraram na conta da empresa Gamecorp e 3,1 milhões na conta da GS Entretenimento. O dinheiro sem identificação entrou na conta da Gamecorp em 2005, no auge do mensalão.

Vários créditos sem identificação de origem chamaram a atenção da Polícia Federal, pelo volume movimentado e pelo perfil das operações. Dez depósitos on line somam 235 mil reais (23,5 mil reais cada operação) e 7 depósitos em dinheiro somam 198 mil reais (28,2 mil reais cada operação).

Continua após a publicidade
Publicidade