Clique e assine a partir de 8,90/mês

Governo libera R$ 400 mil para documentário sobre a vida de amigo de Lula

Dinheiro será usado em biografia sobre o bispo que celebrou a controversa missa em homenagem ao ex-presidente antes dele ser preso

Por Hugo Marques - Atualizado em 14 out 2020, 09h27 - Publicado em 12 out 2020, 13h23

A Secretaria Especial do Audiovisual, ligada à Secretaria Especial de Cultura, liberou 400.000 reais para o Instituto Vladimir Herzog produzir um perfil biográfico e um documentário sobre o bispo Dom Angélico Sândalo Bernardino

Em abril de 2018, Dom Angélico, da Diocese de Blumenau, protagonizou uma das cenas mais bizarras da política brasileira. Foi ele quem celebrou a famosa missa no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Paulo, onde o ex-presidente Lula se refugiou para tentar resistir à prisão. 

Amigo pessoal de Lula, o bispo era um dos impulsionadores da versão fantasiosa de que o ex-presidente, condenado por corrupção, era simplesmente um perseguido político. “Houve um golpe. Cinquenta por cento quando tiraram a Dilma e 50% quando impediram você, Lula, de ser candidato”, disse Dom Angélico, durante sua passagem pelo constrangedor ato que antecedeu a prisão. 

A liberação dos recursos para a realização da biografia do bispo foi assinada pelo secretário de Audiovisual do governo Bolsonaro, Bruno Graça Melo Cortes, e pelo presidente do Instituto Vladimir Herzog, Rogério Sottili. 

O Instituto Vladimir Herzog promove uma forte oposição a Jair Bolsonaro. Em maio deste ano, a entidade apresentou denúncia contra o governo à Corte Interamericana de Direitos Humanos, acusando o presidente de promover a desinformação e insultar a memória de vítimas da ditadura militar.

O dinheiro destinado ao Instituto Vladimir Herzog tem origem em uma emenda do deputado Paulo Teixeira (PT-SP).  A Secretaria Especial de Cultura explicou que a liberação dos recursos seguiu o que o prevê a legislação.

Continua após a publicidade
Publicidade