Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Governo fixa salário mínimo de 2022 em R$ 1.212 — sem aumento real

Aumento de 112 reais repõe apenas a inflação verificada em 2021, de 10,18%, a maior desde 2016

Por Da Redação
Atualizado em 31 dez 2021, 11h00 - Publicado em 31 dez 2021, 09h44

Conforme o presidente Jair Bolsonaro já havia avisado em sua live semanal nas redes sociais, o salário mínimo em 2022 será de 1.212 reais a partir de 1º de janeiro. A Medida Provisória (MP) nº 1.091 que confirmou o novo valor foi publicada na edição desta sexta-feita, 31, do Diário Oficial da União (DOU).

A portaria informa que o valor diário do salário mínimo corresponderá a 40,40 reais e de 5,51 reais por hora. Atualmente, o salário mínimo é de 1.100 reis. Houve, portanto, um aumento de 112 reais, que corresponde apenas a uma correção da inflação com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), sem espaço para ganho real.

O valor está acima do que foi originalmente previsto no Orçamento para 2022. A projeção na proposta enviada pelo governo ao Congresso em agosto, era de 1.169 reais. As mudanças ocorreram em função do avanço da inflação.

Pela Constituição, o governo é obrigado a corrigir o valor, mantendo o poder de compra do trabalhador, com base no INPC, indicador de inflação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que tradicionalmente é usado em reajustes salariais.

No texto da MP, o relator do projeto, deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ), cita uma projeção de inflação de 10,18%, com base em projeções do mercado financeiro. O INPC acumulado no ano somente será divulgado oficialmente pelo IBGE em 11 de janeiro. Em tese, o governo poderá aumentar o valor do salário mínimo caso o INPC fique acima de 10,18%.

Este reajuste de 10,18% do salário mínimo foi o maior desde 2016, que chegou a 11,6% (chegando a 880 reais, na época). De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de referência para 50 milhões de pessoas no Brasil, sendo 24 milhões de beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.