Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Governo federal enviará 800 homens para combater violência no Rio

Medida anunciada nesta quinta pelo presidente Michel Temer (PMDB) inclui 420 policiais da Força Nacional de Segurança e 380 da Polícia Rodoviária Federal

Por Da Redação Atualizado em 20 jul 2017, 16h17 - Publicado em 20 jul 2017, 15h01

O presidente Michel Temer (PMDB) autorizou nesta quinta-feira o envio de 800 policiais para reforçar a segurança no Rio de Janeiro. Até o fim de julho, chegarão ao estado 380 homens da Polícia Rodoviária Federal para ampliar a fiscalização nas rodovias de acesso e mais 420 militares da Força Nacional de Segurança.

O novo contingente se juntará a outros 200 agentes da Força Nacional que já estão no estado, o que totalizará mil homens. Os militares trabalharão no estado durante 18 meses em operações conjuntas com as forças locais de segurança.

Em reunião com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e ministros da área de segurança do governo, entre eles, Raul Jungmann (Defesa), Temer determinou que todas as esferas da União, inclusive a área de inteligência, cooperem para o cumprimento do Plano Nacional de Segurança.

“A população com mais 380 homens da Polícia Rodoviária Federal patrulhando, fora o que já tem de efetivo, ajuda muito. O grande problema do Rio é a entrada de armas e drogas que não são fabricadas no Rio. Já temos números que mostram que, de um mês para o outro, o roubo de carga, que é uma chaga no Rio de Janeiro, já caiu cerca de 12% com as ações de integração”, disse o governador.

  • Esforço concentrado

    Segundo o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Sérgio Etchegoyen, o plano será aplicado em todo o território nacional desde as fronteiras, mas neste momento o esforço estará concentrado no Rio para combater a criminalidade.

    “O senhor presidente da República definiu, com muita ênfase, que todos os meios disponíveis na União, seus órgãos de segurança pública, forças armadas e inteligência estão desde já à disposição do Plano Nacional de Segurança Pública, à disposição deste esforço no Rio de Janeiro, em que estaremos empenhados até o final do ano que vem, quando termina o atual período de governo”, afirmou Etchegoyen.

    O ministro interino da Justiça, José Levi, explicou que a ideia é repetir a atuação integrada realizada nos grandes eventos, como a Olimpíada. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também participou do encontro desta quinta-feira.

    (Com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade