Clique e assine a partir de 9,90/mês

Governo demite o presidente da Funarte pela segunda vez

Dante Mantovani perde o cargo após anunciar a VEJA seu plano de ajudar artistas em dificuldades

Por Hugo Marques - Atualizado em 5 Maio 2020, 20h41 - Publicado em 5 Maio 2020, 19h08

O ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto, tornou sem efeito no começo da noite desta terça-feira, 5, portaria que readmitia o maestro Dante Mantovani como presidente da Funarte. A portaria, publicada em edição extra do Diário Oficial da União, torna sem efeito outra portaria, que tinha sido publicada pela manhã, renomeando o maestro para o cargo.

Mantovani foi demitido pela segunda vez no governo Bolsonaro logo após dar entrevista a VEJA, antecipando seu plano de lançar um edital emergencial para apoiar artistas que estão impossibilitados de trabalhar durante a pandemia de coronavírus. Os artistas receberiam cachê para se apresentarem nos canais virtuais da Funarte.

Na entrevista a VEJA, Mantovani atribuiu sua demissão há dois meses à secretaria Especial de Cultura, a atriz Regina Duarte: “Na verdade, fui exonerado quando a secretária Regina Duarte assumiu, foi pedido dela”, disse Mantovani. Perguntado se Regina Duarte ainda teria condições para permanecer no governo, o maestro respondeu: “É uma decisão dela,você tem que perguntar a ela”. Ele disse ainda que não ficaria enclausurado em sua casa, em home office, igual a Regina Duarte.

Mantovani foi exonerado há dois meses do mesmo cargo. Na ocasião, quem assinou sua saída também foi o ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto. O maestro foi exonerado no dia em que a atriz Regina Duarte assumiu o cargo de secretária Especial da Cultura.

Publicidade