Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Governador do ES fala sobre o próprio estado de saúde

Em meio à crise de segurança no estado, Paulo Hartung (PMDB) teve de passar por cirurgia para retirar um tumor; ele deve reassumir governo no dia 12

Por Maria Clara Vieira, de Vitória Atualizado em 8 fev 2017, 12h34 - Publicado em 8 fev 2017, 10h23

No quinto dia de caos na segurança do estado, o governador licenciado do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), iniciou a entrevista coletiva nesta quarta-feira falando sobre suas condições de saúde. Ele foi submetido a cirurgia para remoção de um tumor na bexiga na última sexta-feira e passava por tratamentos no Hospital Sirio-Libanês, em São Paulo.

Segundo os médicos, o governador já fazia um acompanhamento no hospital desde 2003 devido a complicações no rim – por isso, decidiram fazer os exames na capital paulista e acabaram detectando o tumor em fase inicial. A retirada foi feita por meio de endoscopia, sem cortes. Médicos dizem que Hartung está curado e pode reassumir as atividades após alguns dias de recuperação. Ele deve voltar ao cargo no dia 12 – até lá, o governo está sendo comandado pelo vice, César Colnago (PSDB).

“Fui para São Paulo esperando fazer um exame e acabei realizando uma cirurgia”, disse o governador. Daqui a 60 dias, ele será examinado de novo para checar o estado da cicatrização.

Foi Colnago quem pediu patrulhamento federal nas ruas do estado, que acabou anunciada pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann. A ação de soldados das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança foi iniciada na terça, mas ainda não permitiu que fosse retomada a normalidade. Em cinco dias, o estado já registrou 87 mortes, segundo o Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol/ES) – a média desse tipo de crime em 2016 foi de 3,2.

Continua após a publicidade

Publicidade