Clique e assine a partir de 9,90/mês

Gilmar suspende a colocação de tornozeleira eletrônica em Guido Mantega

Ministro do STF acolheu pedido da defesa, que solicitou suspensão do uso do artefato até que se decida se caso sobre propinas seguirá para Justiça do DF

Por Da Redação - Atualizado em 29 ago 2019, 03h29 - Publicado em 29 ago 2019, 02h22

Em decisão nesta quarta-feira 28, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu a colocação de tornozeleira eletrônica no ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. O uso de tornozeleira havia sido determinado pelo juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Mendes afirmou que notou “plausibilidade jurídica” em pedido da defesa de Mantega, que alegou que o ex-ministro, por ser figura pública, poderia sofrer constrangimento e risco de hostilização com o artefato.

A decisão do ministro do STF veta o uso de tornozeleira até que seja decidido se o caso será transferido para a Justiça do Distrito Federal, como pede a defesa de Mantega. A ação penal atualmente tramita no Paraná.

Na última quarta-feira, Mantega foi um dos alvos de uma operação da Lava Jato que investiga a denúncia de que ele, quando ministro, recebeu propinas em troca da edição de medidas provisórias para beneficiar o grupo Odebrecht.

Continua após a publicidade

Foram presos Maurício Ferro, ex-vice-presidente Jurídico da Odebrecht e cunhado de Marcelo Odebrecht. Outro investigado, o advogado Nilton Serson, teve prisão decretada, mas estava nos Estados Unidos. Na última quarta-feira, Bonat decidiu mandar colocar tornozeleira em Mantega diante do pedido de prisão feito pelo Ministério Público Federal.

Publicidade