Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Genoino melhora, mas mantém ‘picos hipertensivos’

Boletim médico indica que o deputado não tem previsão de alta. Avaliação por junta médica foi feita a pedido de Barbosa, que avalia prisão domiciliar

Um novo boletim médico sobre a saúde do deputado licenciado José Genoino (PT-SP), divulgado neste sábado, indica que o paciente “evoluiu com melhora nos parâmetros de coagulação sanguínea”, mas ainda mantém picos hipertensivos. Condenado a quatro anos e oito meses no julgamento do mensalão, Genoino deixou a Penitenciária da Papuda, em Brasília, na quinta-feira e foi hospitalizado. Exames realizados no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal descartaram a hipótese de infarto e apontam que ele teve uma crise de pressão alta.

Leia também:

Mensaleiros na Papuda terão dia exclusivo para visitas

Ainda segundo o boletim deste sábado, foram ajustadas as doses dos medicamentos destinados ao tratamento da hipertensão arterial. O documento não indica previsão de alta. “O paciente permanecerá internado para observação”, diz o texto.

Neste sábado, Genoino foi submetido a uma perícia médica formada por cinco cardiologistas indicados pela Universidade de Brasília (UnB). Foram duas horas e meia de avaliação, solicitada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Barbosa quer saber se o ex-presidente do PT tem condições de saúde para cumprir a pena na penitenciária ou se deve ficar em prisão domiciliar.

Leia também:

Mensaleiros presos pedem para trabalhar e estudar

Mensaleiros seguem com regalias em presídio no DF

Das mordomias do mensalão ao banho frio na cadeia

Na última quinta-feira, após solicitação do juiz da Vara de Execuções Penais, Ademar Vasconcelos, Barbosa concedeu autorização para Genoino cumprir temporariamente sua pena em casa ou em um hospital. A decisão é provisória e tem validade até que uma junta médica de cardiologistas apresente o laudo sobre o quadro clínico do mensaleiro.

Genoino está licenciado da Câmara dos Deputados desde setembro, quando entrou com um pedido de aposentadoria por invalidez, amparado em seus problemas cardíacos. Uma nova avaliação da junta médica foi solicitada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e pode antecipar a concessão da aposentadoria – o parlamentar somente passaria pelo reexame em janeiro. A estratégia pode permitir que o mensaleiro tenha direito a salário vitalício de deputado – hoje de 26 700 reais – e ainda se livre de um processo de cassação.