Clique e assine a partir de 9,90/mês

Funcionários dos Correios entram em greve nesta quarta

Paralisação por tempo indeterminado afeta todos os serviços de entrega

Por Bruno Abbud - 14 set 2011, 12h25

A greve promovida por funcionários dos Correios, iniciada à meia-noite desta quarta-feira, mobiliza milhares de carteiros e funcionários operacionais espalhados por todo o Brasil. De acordo com o secretário-geral da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos (Fentect), José Rivaldo da Silva, a paralisação não deve terminar tão cedo. “Essa greve com certeza irá durar até o fim dessa semana”, disse Rivaldo. “E deverá continuar na semana que vem”.

A Fentect engloba 35 sindicatos em diversos estados brasileiros. Segundo a federação, a greve, até agora, tem adesão de 70% dos funcionários (ou cerca de 100.000) ─ a maioria formada por carteiros. No entanto, nesta quarta-feira, o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, contrariou a informação. Segundo ele, somente 32% dos empregados (cerca de 35.000) aderiram à paralisação.

A pauta de reivindicações foi apresentada em 26 de julho, durante o 30º Conselho Nacional de Representantes dos Trabalhadores dos Correios (Conrep), realizado em Brasília. Desde então, não houve acordo. Entre outras reivindicações, os grevistas pedem aumento real de 400 reais, piso salarial de 1.635 reais e reposição de 7,16% referente à inflação entre os anos de 1994 e 2002, o que totalizaria 24,76%.

Na noite desta terça-feira, a direção dos Correios propôs um aumento real de 50 reais, um reajuste de 6,87% e um abono salarial de 800 reais. O diretor de Recursos Humanos dos Correios, Larry Manoel Passos, foi incumbido pelo presidente Wagner Pinheiro de comandar as negociações com os grevistas. Às 8 horas desta quarta-feira, Passos entrou na sala de reuniões com dez integrantes de sua equipe para tentar resolver o impasse. Às 12h02, Passos continuava trancado.

Continua após a publicidade

A reunião continuará à tarde, depois de um intervalo no horário do almoço. Uma nova conversa entre empresas e funcionários deve acontecer ainda nesta quarta-feira, acredita o líder da Fentect, José Rivaldo da Silva. A estatal informou que os seguintes serviços estão suspensos: Sedex Hoje, Sedex 10, Disk Coleta e E-Sedex Prioritário e Express, além da entrega corriqueira de contas e outras encomendas.

LEIA TAMBÉM:

Greve no serviço público deve, enfim, ter limites

Pacote explode em agência dos Correios de SP

Publicidade