Clique e assine com 88% de desconto

Fotos apreendidas pela PF mostram intimidade entre Lula e Bumlai

Documentos constam de inquérito submetido pela corporação à Justiça

Por Da Redação - 11 dez 2015, 12h48

Documentos anexados pela Polícia Federal ao inquérito que investiga o pecuarista José Carlos Bumlai, preso pela Operação Lava Jato, denotam a intimidade entre o empresário e o ex-presidente Lula. Fotos apreendidas pela PF mostram Bumlai ao lado de Lula e da ex-primeira-dama Marisa Letícia em diversos momentos – inclusive dançando quadrilha em um “arraiá” com os Lula da Silva. O material foi apreendido em endereço de Bumlai no Mato Grosso do Sul. Há ainda um cartão de apresentação com o brasão da República, em nome da ex-primeira-dama.

Leia mais:

Bumlai repetiu mensalão e beneficiou PT, diz Moro

PF prende pecuarista amigo de Lula na 21ª fase da Lava Jato

Publicidade

O amigo próximo de Lula, preso há três semanas, foi citado por diversos delatores da Lava Jato. Um deles, o lobista Fernando Baiano, que declarou ter repassado a uma nora do ex-presidente Lula uma quantia de 2 milhões de reais a pedido de Bumlai. De acordo com as investigações, os valores eram referentes a uma comissão a que o pecuarista tinha direito e, na transação, foi simulado um contrato de aluguel de equipamentos e emitidas notas fiscais falsas.

Bumlai é suspeito de ter atuado diretamente em um esquema de corrupção envolvendo a contratação da Schahin pela Petrobras para operação do navio sonda Vitoria 10.000. A transação só ocorreu após o pagamento de propina a dirigentes da Petrobras, ao próprio pecuarista e ao PT. A exemplo do escândalo do mensalão, o pagamento de dinheiro sujo foi camuflado a partir da simulação de um empréstimo no valor de 12,17 milhões de reais.

Não são apenas as imagens apreendidas que indicam a proximidade entre Bumlai e Lula: VEJA revelou em 2011 que o pecuarista foi favorecido por financiamentos do BNDES e tinha livre acesso ao Palácio do Planalto no governo petista. Um recado na portaria do principal prédio da administração pública federal determinava: “O sr. José Carlos Bumlai deverá ter prioridade de atendimento na portaria Principal do Palácio do Planalto, devendo ser encaminhado ao local de destino, após prévio contato telefônico, em qualquer tempo e qualquer circunstância”.

(Da redação)

Publicidade