Clique e assine a partir de 9,90/mês

Forças Armadas apoiam Heleno contra apreensão do celular de Bolsonaro

General Fernando Azevedo e Silva afirmou em entrevista que os militares apoiaram o posicionamento do GSI

Por Redação - Atualizado em 23 Maio 2020, 11h13 - Publicado em 23 Maio 2020, 11h05

As Forças Armadas estão de acordo com a nota do general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). A afirmação foi feita pelo ministro da Defesa, o general Fernando Azevedo e Silva, em entrevista à CNN Brasil.

Em nota divulgada na tarde desta sexta-feira, 22, Heleno, mandou nota em tom de intimidação ao Supremo Tribunal Federal, ao afirmar que “o pedido de apreensão do celular do presidente da República é inconcebível e, até certo ponto, inacreditável”. Segundo o ministro palaciano, se a medida for concretizada, poderá haver “consequências imprevisíveis” para a estabilidade nacional.

O pedido de apreensão dos celulares do presidente Jair Bolsonaro e de seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), foi feito pelos partidos de oposição PDT, PSB e PV, em notícia-crime enviada ao STF e encaminhada pelo ministro Celso de Mello à Procuradoria-Geral da República para avaliação. A petição foi protocolada no âmbito do inquérito que apura suposta interferência de Bolsonaro na Polícia Federal. Como o Radar noticiou, o ministro esclareceu não ter deliberado a respeito, tendo apenas encaminhado o pedido dos partidos.

Para Heleno, uma eventual autorização judicial ao pedido da oposição representaria uma “evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes”.

Leia abaixo a íntegra da nota assinada por Augusto Heleno:

Continua após a publicidade

Nota à Nação Brasileira

Brasília, DF, 22 de maio de 2020.

O pedido de apreensão do celular do Presidente da República é inconcebível e, até certo ponto, inacreditável. Caso se efetivasse, seria uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder na privacidade do Presidente da República e na segurança institucional do País. O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional.

Augusto Heleno Ribeiro Pereira

Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República

Continua após a publicidade
Publicidade