Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Flávio procura Alexandre de Moraes – e é ignorado por outros ministros

Zero Um faz romaria no Supremo enquanto o pai-presidente processa ministro por abuso de autoridade

Por Laryssa Borges Atualizado em 31 Maio 2022, 09h26 - Publicado em 29 Maio 2022, 15h51

Sem anúncio prévio, sem nome na agenda pública de audiências, sem vazamentos. Este é, em linhas gerais, o roteiro traçado pelo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) ao procurar, com extrema discrição, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para conversas reservadas. O alvo mais sensível da romaria do Zero Um, o ministro Alexandre de Moraes, foi abordado há poucas semanas durante o aniversário de um parlamentar que mantém contato estreito com o magistrado desde a criação da CPMI das Fake News, em 2019.

Na conversa, Moraes relatou a dois colegas da Corte que Flávio, embora não dissesse falar expressamente em nome do pai presidente, tentou justificar os arroubos retóricos de Jair Bolsonaro, afirmou que o estilo de o ex-capitão se expressar às vezes é mais ríspido e “praticamente pediu desculpa” pela escalada dos ataques que o Palácio do Planalto tem disparado contra o STF, onde Moraes conduz investigações sensíveis aos bolsonaristas, como as relacionadas a fake news e à atuação de milícias digitais, e contra o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na cruzada do Executivo para tentar desacreditar as urnas eletrônicas.

O tom apaziguador do discurso do parlamentar foi interrompido na sequência quando ele disse a Moraes que, embora o pai às vezes dispense o verniz diplomático em suas críticas, Bolsonaro teria razão porque o STF supostamente o impediria de governar.

Desde a primeira decisão que considera exemplo extremo de ativismo judicial do Supremo – a determinação do ministro de barrar a nomeação de Alexandre Ramagem para a chefia da Polícia Federal, ainda em 2020 – Bolsonaro já insuflou apoiadores para promover intimidações aos magistrados, sobrevoou os arredores da Corte em um helicóptero, discursou em atos de estímulo ao fechamento do STF e nas últimas semanas, por exemplo, voltou à carga contra o magistrado o acusando de abuso de autoridade. Na quinta-feira 26, afirmou que Alexandre de Moraes é “totalmente parcial”. “Estamos esgotando tudo dentro das 4 linhas da Constituição. Você tem alguma dúvida de que há abuso de autoridade para comigo?”, disse.

Flávio Bolsonaro também bateu à porta de outros ministros do STF. Foi recebido pelo decano Gilmar Mendes, quando a repetir que o tribunal tem impedido o pai de governar e reclamou de um suposto descumprimento de acordo. O Zero Um disse ao ministro que Moraes havia concordado em não colocar mais nenhum alvo no inquérito das fake News. Na sequência, o senador também pediu audiência a Luís Roberto Barroso e ao presidente do STF Luiz Fux. Em ambos os casos, foi ignorado até o momento.

A interlocutores Fux disse que receberá o filho do presidente, mas que o encontro ocorrerá em outro momento e terá registro em sua agenda pública de compromissos. Barroso não respondeu.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)