Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Filha de Fernandinho Beira-Mar toma posse como vereadora na Grande Rio

Dentista Fernanda Costa (MDB) era suplente na Câmara de Duque de Caxias, Baixada Fluminense, e assume vaga de vereador nomeado para secretaria municipal

Por Marina Lang Atualizado em 4 jan 2021, 16h53 - Publicado em 4 jan 2021, 16h12

A filha do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, tomou posse como vereadora na Câmara Municipal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (região metropolitana do Rio de Janeiro), nesta segunda-feira, 4. 

A dentista Fernanda Costa (MDB), 36 anos, assume a cadeira do vereador e correligionário Sandro Lelis, escolhido pelo prefeito Washington Reis, também do MDB, como secretário de Serviços Públicos do município, que é o terceiro maior colégio eleitoral do estado do Rio, com 658 mil eleitores. A informação foi confirmada por meio de nota da Prefeitura de Duque de Caxias. 

De acordo com a documentação apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a filha de Beira-Mar não possui antecedentes criminais. Sua candidatura foi avalizada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE). Ela recebeu 3.999 votos nas eleições do ano passado e já tinha tentado se eleger em 2016 para o mesmo cargo pelo PP, mas sequer chegou à suplência do partido. 

A dentista recebeu 110.759,16 reais em recursos para a campanha eleitoral – 90% do valor, o equivalente a 100 mil reais, veio do diretório regional do MDB. O prefeito Washington Reis, que concorreu à reeleição, doou 2.059 reais para a campanha de Fernanda. Diferentemente de 2016, quando declarou ter bens de 140 mil reais ao TSE, a candidata informou não possuir patrimônio em 2020. 

Procurada por VEJA, Fernanda não se manifestou – apenas encaminhou a nota oficial da prefeitura da cidade e uma breve biografia.  

Preso desde 2001, Fernandinho Beira-Mar é um dos principais líderes da facção criminosa Comando Vermelho (CV), e acumula penas de mais de 300 anos de prisão pelos crimes de homicídios, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. Ele está preso na Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Seu codinome vem da comunidade Beira-Mar, um dos redutos em que ele se estabeleceu no mundo do crime.

Continua após a publicidade
Publicidade