Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

FHC desafia Lula para uma conversa “cara a cara”

Ex-presidente diz que estava cansado de ficar calado, defende sua gestão e chama Lula de mesquinho

Alheio a manifestações cabotinas e celebrações às conquistas de seu governo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso mudou o tom de seus discursos habituais na noite desta quinta-feira. Em evento do PSDB realizado em São Paulo, FHC defendeu o legado de seus oito anos à frente da Presidência da República, criticou o atual governo e fez um convite para um debate: “Presidente Lula, quando acabar as eleições, quando você puser o pijama, será bem recebido. Venha ao meu instituto, vamos conversar, cara a cara.”

Dizendo-se alvo de mentiras, FHC afirmou que o presidente Lula age como se possuísse o “monopólio da verdade”. “Ele fez coisas boas que eu reconheço. Ele agiu bem na crise atual, financeira. Para que, meu Deus, ser tão mesquinho? É isso que quero perguntar a ele: ‘Lula, por que isso, rapaz?'”.

Durante o discurso, que empolgou a militância, o ex-presidente tucano ainda defendeu a estabilização econômica trazida pelo Plano Real. “Quero ver o presidente Lula, que votou contra o Real, que fez o PT votar contra o Real, dizer que estabilizou o Brasil.”

FHC ainda criticou a atuação da ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, alertou para uma processo de politização da Petrobras e declarou apoio total à candidatura de José Serra à Presidência. “Não queremos um Brasil de preguiçosos. Não queremos um Brasil de amigos do rei. Não queremos um Brasil de companheiras Erenice.”