Clique e assine a partir de 9,90/mês

Família Bolsonaro e Joice voltam a trocar baixarias nas redes sociais

Presidente da República e seu filho Eduardo ironizam peso da parlamentar, ex-aliada do governo, que rebate o Zero Três: ‘inútil’ e ‘moleque’

Por Giovanna Romano - 20 dez 2019, 12h55

Depois do racha no PSL, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) tornou-se com frequência alvo dos insultos da família Bolsonaro pelas redes sociais. Em mais um episódio, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) publicou uma imagem da parlamentar com ironias sobre peso da parlamentar. “Será que sou um criminoso por esse humor político”, questionou.

Em resposta à ofensa, Joice afirmou que nunca viu um deputado “tão inútil, tão imbecilizado, tão mau caráter” quanto Eduardo Bolsonaro. “Nunca conseguiu nada com seus esforços. É um encostado que divide o tempo torrando grana pública em viagens pelo mundo e fazendo ‘memes’. Moleque, cresce!”, escreveu a deputada na quinta-feira 19.

Em outra postagem, Joice ironizou a situação de Eduardo com as suspeitas do Ministério Público do Rio de Janeiro contra o seu irmão, o senador Flávio Bolsonaro. “A estratégia é desviar o foco para a encrenca do mano que bateu a carteira dos funcionários em milhões de reais e que se não conseguir HC [habeas corpus] do tio Gilmar vai dançar. Faz meme do Gilmar, faz!”, completou a parlamentar.

Ainda na noite de quinta, o presidente Jair Bolsonaro alfinetou Joice durante a sua live semanal. Sem citar o seu nome, ele disse que tem uma “gordinha” em São Paulo o criticando pelo fundo eleitoral. Ele também citou o nome do deputado federal Samuel Moreira (PSDB-SP). “O nome do Samuel eu vou falar porque não é gordinho, mas tem uma gordinha e um bobinho aí me criticando”, disse.

Continua após a publicidade

Bolsonaro sinalizou nos últimos dias que pretendia vetar o fundo eleitoral de 2 bilhões de reais aprovado pelo Congresso, mas mudou de postura e afirmou o contrário durante a live. Ele declarou que tem recomendações jurídicas para sancionar o fundo e evitar um risco de impeachment.

Publicidade