Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

‘Estratégia de campanha de Trump’: PT critica morte de Soleimani

Partido classifica ataque como 'criminoso' e pede que país arrefeça ofensiva contra o Irã

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h32 - Publicado em 4 jan 2020, 19h54

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou uma nota neste sábado, 4, condenando os ataques perpetrados pelos Estados Unidos que culminaram na morte do general iraniano Qasem Soleimani. O partido considerou ‘lamentável’ que o governo brasileiro tenha manifestado apoio à ação e classificou como ‘criminoso’ o ato dos Estados Unidos, e atribuiu aos estadunidenses uma atuação, segundo o PT, “estimulando conflitos, desestabilizando a região e colhendo resultados financeiros expressivos para investidores das indústrias armamentista e do petróleo”.

Ainda de acordo com o partido, o assassinato de Soleimani é parte da estratégia de campanha do presidente estadunidense à sua reeleição no segundo semestre deste ano. O PT faz um apelo para que outras nações e instituições manifestem-se sobre o ato.

“Esperamos que a opinião pública mundial e a estadunidense em particular se posicionem contra este tipo de manobra eleitoral que somente tende a aprofundar o conflito na região gerando mais violações dos direitos humanos e ressentimentos”, grafa a nota. Que completa: “Sucessivos governos dos EUA e particularmente o atual, têm contribuído para agravar os litígios no Oriente Médio”. O partido ainda pediu que Trump recue na ofensiva contra o Irã.

O Ministério das Relações Exteriores do governo Jair Bolsonaro emitiu na noite desta sexta-feira, 3, uma nota na qual não condena o ataque de drone dos Estados Unidos que matou Soleimani, e Abu Mehdi al-Muhandis, um dos líderes das Forças de Mobilização Popular, milícia iraquiana pró-Irã, no aeroporto de Bagdá, no Iraque. Em seu posicionamento, o governo brasileiro manifestou “seu apoio à luta contra o flagelo do terrorismo”. Também reiterou “que essa luta requer a cooperação de toda a comunidade internacional sem que se busque qualquer justificativa ou relativização para o terrorismo”.

Em outro trecho da nota, o Itamaraty afirma que “o Brasil acompanha com atenção os desdobramentos da ação no Iraque, inclusive seu impacto sobre os preços do petróleo, e apela uma vez mais para a unidade de todas as nações contra o terrorismo em todas as suas formas”. Na segunda-feira, 6, o presidente Jair Bolsonaro se reunirá com sua equipe ministerial para discutir qual será a estratégia do Brasil caso o preço do combustível dispare nos próximos dias.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.