Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Em SP, Dilma enrola sobre Correios. E ironiza ação do PSDB

Em São José dos Campos, presidente tergiversou sobre denúncias de uso político da estatal em sua campanha e abusou do 'dilmês': 'No que se refere...'

Por Eduardo Gonçalves, de São José dos Campos 3 out 2014, 13h51

A dois dias das eleições, a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) investe em uma agenda paulista nesta sexta-feira: pela manhã, fez carreata em São José dos Campos, no interior de São Paulo. À tarde, tem caminhada na capital. Dilma desfilou em um carro ao lado do candidato petista ao governo do Estado, Alexandre Padilha. E disse que já está preparada para o segundo turno. Ao falar do caso dos Correios, a presidente tergiversou – e aproveitou para atacar o PSDB.

Questionada se prefere disputar a segunda etapa da corrida pelo Planalto com Aécio Neves (PSDB) ou Marina Silva (PSB), Dilma afirmou que “não tem preferência”. Pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira apontou o tucano e a ex-senadora tecnicamente empatados na segunda colocação. “Estamos preparados para enfrentar o primeiro e o segundo turno”, afirmou a presidente

Leia também:

PSDB reúne provas para pedir cassação da candidatura de Dilma

“Estamos contando com o segundo turno. Nós vamos, daqui para frente, lutar para apresentar nossas propostas de saúde, educação e moradia”, afirmou a petista. Dilma falou para centenas de militantes que acompanharam sua breve carreata: a presidente desfilou por cerca de 200 metros. Padilha, estagnado na terceira colocação nas pesquisas de intenção de voto, chegou bem antes da ex-chefe e aproveitou para fazer selfies com a militância.

Dilma também falou sobre a mais recente crise envolvendo o uso da máquina pública pelo seu governo para fins eleitorais: o caso dos Correios. Após a divulgação de um vídeo em que um deputado petista afirma que a presidente-candidata só chegou aos 40% de intenções de voto porque há “dedo forte dos petistas” na estatal, o PSDB afirmou que os Correios boicotaram deliberadamente o envio de malotes de campanha de Aécio como forma de favorecer a presidente-candidata na corrida presidencial. O partido entrou com ação de investigação judicial eleitoral no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que o caso seja apurado.

A presidente minimizou o caso – e ironizou os adversários: “Essas histórias sempre aparecem quando alguém corre o risco de perder as eleições”. Sobre o aparelhamento do Estado, disse que seu governo reduziu o gasto com funcionamento público. “No que se refere a aparelhamento, nós reduzimos o número de funcionários mesmo tendo aberto concurso para professores, profissionais da área de saúde e segurança. Além disso, é importante dizer que no governo federal 67% dos cargos de comissão são exercidos por funcionários públicos. Isso significa que apenas 23% dos cargos são de comissão e de nomeação. Não acredito que ocorra isso nos governos estaduais do PSDB”.

No meio do empurra-empurra para tirar foto e cumprimentar a presidente, houve um pequeno tumulto envolvendo um jovem que estava xingando a petista e os militantes. Em seguida, ela subiu no carro ao lado de Padilha e do prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT), percorrendo o trajeto da Praça Central até a Igreja Matriz de São José dos Campos.

Continua após a publicidade
Publicidade