Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em início de campanha, Haddad ataca Serra e defende aliança com Maluf

O petista participou de plenária realizada neste sábado no Itaim Paulista, na zona leste da capital

A aliança com o PP, do deputado federal Paulo Maluf, voltou a ser um dos principais temas abordados no início da tarde deste sábado, no segundo dia oficial de campanha do candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. Em plenária realizada no bairro do Itaim Paulista, extremo leste da capital, o deputado federal Jilmar Tatto (PT-SP) abriu os discursos justificando a polêmica aliança do PT com o partido de Maluf, sob o argumento de que ela foi feita para que Haddad, ainda pouco conhecido da população, tivesse mais tempo na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV. Na sequência, Haddad disparou ofensivas ao rival José Serra e ao prefeito Gilberto Kassab.

Apesar de justificar o acordo para cerca de cem militantes petistas presentes ao evento, Jilmar Tatto evitou citar o nome de Paulo Maluf. Em seu pronunciamento, o parlamentar argumentou que o acordo com o PP não vai interferir no conteúdo programático da campanha de Fernando Haddad: “O tom de nosso projeto de governo será tocado pelo PT e pelo candidato Fernando Haddad”. Tatto disse, ainda, que depois de perder o apoio do PR (que fechou aliança com o tucano José Serra, adversário de Haddad neste pleito), o PT teve de buscar outras alternativas, como o PP, legenda que vinha sendo disputada pelos adversários, sobretudo o PSDB.

Depois das justificativas feitas pelo deputado federal, Haddad falou aos militantes, mas com um outro foco: centrando seu discurso nos ataques ao adversário José Serra e ao prefeito Gilberto Kassab (PSD). O candidato petista acusou Kassab de cuidar apenas de seu recém-criado partido e trabalhar somente meio período pela cidade. E voltou a lembrar que José Serra deixou a administração municipal com menos de dois anos de mandato para disputar o governo do estado.

Para Haddad, o problema de Serra não é apenas “o abandono da prefeitura com menos de dois anos de mandato”, mas a falta de atenção a uma das áreas mais crítica para a população: a saúde. O petista disse que seu adversário prometeu cuidar da área e não cuidou. “Um (Serra) abandonou a cidade e o outro (Kassab) trabalha apenas meio período”, ironizou.

Sobre a justificativa da aliança com o PP de Paulo Maluf, feita por Jilmar Tatto, Haddad destacou, em entrevista à imprensa: “Nunca fulanizamos o debate, nem em relação à oposição. Eu não fico apontando para a oposição, nomeando pessoas e nem secretários do Kassab, prefiro falar de projeto político”. Segundo ele, “é necessário escapar de armadilhas como esta e apresentar um acordo político que propicie alternativas ao eleitorado.”

Candidatos – Gabriel Chalita, do PMDB, escolheu os bairros da periferia de São Paulo para o início da sua campanha. Neste sábado, ele fez uma caminhada pelo Grajaú, na zona sul, em uma tentativa de conquistar os votos que seriam, tradicionalmente, de petistas. Após participar de uma missa católica, Chalita fez sua caminhada ao lado de um padre. O candidato tucano José Serra não teve agenda para este sábado.

(Com Agência Estado)