Em entrevista, Dilma afirma que quer escrever romance policial

A ex-presidente da República afirmou que gosta do gênero. Dilma Rousseff vive no bairro Tristeza, em Porto Alegre, em um apartamento de 70 metros quadrados

Por Da redação - Atualizado em 1 nov 2016, 15h50 - Publicado em 1 nov 2016, 10h35

A ex-presidente da República Dilma Rousseff afirmou, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo publicada na edição desta terça-feira, que deseja escrever um romance policial. A petista, que vive em um apartamento de 70 metros quadrados localizado no bairro Tristeza, em Porto Alegre, tem uma coleção de livros do gênero.

Ao ser questionada sobre a publicação de um livro sobre seus anos ocupando a Presidência da República, Dilma diz que deve ficar para depois. A ex-presidente não falou sobre projetos futuros nem se aprofundou em questões políticas, mas mostrou-se ressentida com o “ódio ao lulopetismo”.

LEIA TAMBÉM:
A vida dos presos da Lava Jato no complexo penal de Curitiba

O prédio de classe média onde Dilma vive não tem porteiro nem garagem subterrânea. Num dos cômodos há duas estantes com livros e um local reservado para exercícios físicos. Ela ainda cultiva o hábito desenvolvido durante a Presidência e pedala todos os dias acompanhada de seus dois seguranças pelas ruas do bairro da capital gaúcha.

Sem frequentar locais públicos desde o impeachment, Dilma não fala sobre o assunto, mas afirma que não ficaria traumatizada caso fosse hostilizada em aeroportos. Ela não cita a Lava Jato ao longo de sua entrevista, mas pergunta: “Será que eles podem ler livros lá na prisão?”, referindo-se aos políticos presos.

Publicidade