Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Em depoimento, Queiroz diz que suposto vazamento da PF não chegou até ele

O Ministério Público Federal ouviu o ex-assessor de Flávio Bolsonaro no Complexo Penitenciário de Bangu por cerca de duas horas e meia

Por Da Redação 2 jul 2020, 22h04

O ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz afirmou, na tarde desta quinta-feira, 2, que não recebeu informações sobre um suposto vazamento de relatório da Operação Furna da Onça que mencionava seu nome.

O Ministério Público Federal ouviu Queiroz no Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio, por cerca de duas horas e meia. Foi a primeira vez que Queiroz falou pessoalmente aos procuradores, que buscam detalhes do suposto vazamento da operação para beneficiar Jair Bolsonaro nas eleições de 2018.

De acordo com o promotor Eduardo Benones, coordenador do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial do Ministério Público Federal, que ouviu o ex-assessor, o depoimento de Queiroz não nega que houve vazamento na operação. “Ele não sabe afirmar se houve ou não houve o vazamento. Então, assim. Não é que ele disse que não houve vazamento. O que ele falou é que não chegou até a ele. O depoimento dele não inocentou ninguém, foi capaz de tirar ninguém da cena do crime, entendeu? Dá pra continuar investigando. Foi um bom depoimento”, disse o promotor.

Queiroz também não soube dizer se Flávio foi informado sobre esse documento do Coaf antes de exonerá-lo do cargo de assessor na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, em outubro de 2018.

No primeiro depoimento, por videoconferência, na semana passada, Queiroz já tinha falado que não teve informações antecipadas da operação.

Continua após a publicidade
Publicidade