Clique e assine a partir de 8,90/mês

Eleições: Lula fez campanha para nove derrotados

Ex-presidente participou da campanha de 17 candidatos - só oito foram eleitos

Por Jean-Philip Struck - 29 out 2012, 17h50

A campanha deste ano marcou a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como cabo eleitoral sem as restrições que o mandato impôs durante sua gestão, livre para se dedicar integralmente em eleger seus candidatos. Mas o esforço do ex-presidente só foi bem sucedido em apenas metade das candidaturas apoiadas pessoalmente por ele.

Nos dois turnos da campanha deste ano, Lula participou de comícios ao lado de 17 candidatos – 15 petistas e dois do PC do B -, em sete estados. Nesse grupo, oito conseguiram se eleger e nove foram derrotados.

Reinaldo Azevedo: Os puxa-sacos estão errados! Não foi a influência de Lula em SP que elegeu Haddad

As apostas de Lula em 2012

Derrotados: 9

Manaus, Diadema, Fortaleza, Cuiabá, Belo Horizonte, Salvador, Feira de Santana, Taubaté e Campinas.

Eleitos: 8

São Paulo, Osasco, São Bernardo, Santo André, Mauá, Guarulhos, Jundiaí e João Pessoa.

Entre as candidaturas fracassadas, estão as de capitais em que a figura de Lula é popular, e que em alguns casos conferiram votações recordes ao PT nas últimas eleições presidenciais. Neste grupo estão Manaus, Fortaleza, Salvador, Cuiabá, Belo Horizonte e Vitória da Conquista (BA), cidades visitadas pelo presidente nos meses de setembro e outubro.

Continua após a publicidade

Algumas dessas derrotas tiveram um significado simbólico para o ex-presidente, como Manaus e Salvador. Já outras demonstraram que a influência de Lula pode ser anulada quando confrontada com um adversário com campanhas bem estruturadas ou apoiadas por líderes regionais influentes, como o governador de Recife, Eduardo Campos, do PSB, um dos vitoriosos nestas eleições.

Foi no estado de São Paulo que os candidatos de Lula se saíram melhor. Entre os oito eleitos apoiados por Lula, sete ganharam no estado, a maioria na região metropolitana da capital paulista, como Guarulhos e São Bernardo do Campo, regiões que o PT já administrava. Já em Campinas e Taubaté, apesar da presença de Lula em comícios, os candidatos do PT foram derrotados.

Fora do estado de São Paulo, Lula conseguiu apenas ajudar a candidatura de Luciano Cartaxo (PT), eleito ontem prefeito de João Pessoa, na Paraíba. O ex-presidente participou de um comício ao lado do candidato antes do segundo turno.

Ainda assim, Lula pode ser considerado um vencedor, já que o candidato Fernando Haddad (PT), uma das apostas mais arriscadas do ex-presidente, conseguiu se eleger prefeito em São Paulo, a cidade mais rica e populosa do país.

Derrotas simbólicas – Duas derrotas de Lula nestas eleições ocorreram em capitais onde o ex-presidente demonstrou um empenho voraz, que envolveu uma dose de raiva contra os adversários dos seus candidatos. Em Salvador, Lula fez piadas com a baixa estatura do deputado federal ACM Neto, que disputou o segundo turno com Nelson Pelegrino (PT). Lula viajou duas vezes para a capital baiana para tentar ajudar o seu candidato.

Já em Manaus, o ex-presidente disse que o candidato e ex-senador Arthur Virgílio (PSDB) – desafeto de Lula desde os tempos em que era líder o PSDB no Senado – não gostava “de pobre”. O esforço foi em vão, e tanto ACM Neto quanto Virgílio ganharam as eleições.

PSB – Outros fracassos de Lula envolveram disputas com o PSB do governador Eduardo Campos. Lula apoiou e participou de comícios de cinco candidatos que enfrentaram membros do PSB nas eleições municipais. Na queda de braço, o PSB levou a melhor em quase todas: derrotou o PT em Campinas, Cuiabá, Fortaleza e Belo Horizonte. O PT só conseguiu vencer em João Pessoa, onde o candidato do PSB foi derrotado no primeiro turno.

Em Belo Horizonte, Lula realizou em setembro seu primeiro comício após ter deixado a Presidência, em 2011, em apoio ao candidato Patrus Ananias (PT). Mas Ananias foi derrotado logo no primeiro turno.

O PSB também derrotou o PT e Lula em Recife, embora Lula não tenha chegado a viajar à capital de Pernambuco, abandonando o candidato Humberto Costa (PT) quando as pesquisas mostraram que sua votação seria baixa – ele acabou em terceiro lugar na disputa.

Continua após a publicidade
Publicidade