Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Doria minimiza compromisso assumido em eleições

Criticado pela intenção de concorrer ao governo de SP e não concluir mandato na capital, prefeito disse que documento 'tem o mesmo valor' se assinado ou não

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), reagiu à polêmica com o movimento de deixar o cargo para disputar as eleições estaduais este ano. Apesar de ter prometido que ficaria os quatro anos no Executivo Municipal, e assinado um documento com a garantia, para depois se lançar como pré-candidato a governador, Doria disse que assinar ou não um compromisso têm o mesmo valor no cenário eleitoral.

“Firmar um documento ou não firmar um documento têm o mesmo valor, independentemente de documento ou não”, disse Doria nesta quarta-feira (14), após abertura do Fórum Econômico Mundial sobre América Latina. “As circunstâncias sobretudo do meu partido determinam e impõem que eu dispute as eleições”, justificou. O prefeito disse que a cidade de São Paulo ganha com sua ida ao Palácio dos Bandeirantes.

Ele afirmou que sua pré-candidatura foi colocada para dar força à eleição de Geraldo Alckmin à Presidência da República. Doria disse que Alckmin não deve interferir nas prévias tucanas para a sucessão estadual e que apoiará o candidato do PSDB. “Eu sempre estou confiante, não entro em nada para perder”, declarou.

O prefeito de São Paulo ironizou o anúncio do presidente da Fiesp, Paulo Skaf (MDB), que assumiu no mesmo evento sua pré-candidatura ao governo de São Paulo. Doria disse que Skaf está “muito otimista” ao dizer que ainda há tempo para uma aliança com o MDB no Estado. O tucano afirmou que está conversando com o presidente Michel Temer e com o deputado Baleia Rossi, presidente do partido no Estado, rumo a um entendimento.

O prefeito reforçou que o PSDB não abre mão de ser cabeça de chapa na disputa estadual. Para ele, estabelecer uma aliança com o MDB nacionalmente e a nível do Estado ao mesmo tempo é “ideal”, mas não é uma condição “necessária”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Atsushi Shiino

    É uma pena. Se candidatar ao governo de SP, não terá meu voto.

    Curtir

  2. Antonio Munhoz

    “Não entro em nada para perder.”
    A Embratur que o diga.

    Curtir

  3. Paulo Bandarra

    Mesmo velho político de sempre. Palavra não vale um pum.

    Curtir