Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Dois filhos de Bumlai também são alvo da 21ª fase da Lava Jato

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na residência e nas empresas do pecuarista amigo de Lula em Mato Grosso do Sul

Por Da Redação 24 nov 2015, 09h09

Dois filhos do empresário José Carlos Bumlai também foram alvo da Operação Passe Livre na 21ª fase da Lava Jato deflagrada nesta terça-feira. Contra eles foram cumpridos mandados de condução coercitiva – quando o investigado é levado para depor. Os dois serão ouvidos pela Polícia Federal, em Brasília. Já Bumlai foi preso preventivamente e deve ser levado para a Superintendência da PF em Curitiba ainda hoje.

Como Bumlai e os filhos estavam na capital federal, foi pedido de última hora o cumprimento de um mandado de busca e apreensão para apreender computadores e celulares no quarto de hotel em que estavam. Em Mato Grosso do Sul, também foi feita busca e apreensão na residência e nas empresas do pecuarista. No momento da prisão, o empresário se mostrou tranquilo e não apresentou resistência.

O amigo próximo de Lula foi citado por delatores da Lava Jato. Um deles foi o lobista Fernando Baiano, que declarou ter repassado a uma nora do ex-presidente Lula uma quantia de 2 milhões de reais a pedido de Bumlai. De acordo com as investigações, os valores eram referentes a uma comissão a que o pecuarista tinha direito e, na transação, foi simulado um contrato de aluguel de equipamentos e emitidas notas fiscais falsas.

A nova fase da Lava Jato volta a rondar o ex-presidente Lula. Como VEJA havia revelado em 2011, o pecuarista foi favorecido por financiamentos do BNDES e tinha livre acesso ao Palácio do Planalto no governo petista – daí o nome da nova operação. Um recado na portaria do principal prédio da administração pública federal determinava: “O sr. José Carlos Bumlai deverá ter prioridade de atendimento na portaria Principal do Palácio do Planalto, devendo ser encaminhado ao local de destino, após prévio contato telefônico, em qualquer tempo e qualquer circunstância”.

Leia também:

Amigo íntimo de Lula é peça-chave do petrolão

Na mira de CPI, amigo de Lula tenta se desvincular de negócio sob suspeita

Moro autoriza acesso de Bumlai à parte da delação de Baiano

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade