Clique e assine a partir de 8,90/mês

Divorciado, grupo que governou SC nos últimos anos faz jogo de forças

Após dois mandatos juntos, aliados do ex-governador Raimundo Colombo (PSD) e MDB lançam candidaturas próprias

Por Estêvão Bertoni - 14 ago 2018, 16h33

Após dois mandatos consecutivos juntos em Santa Catarina, o grupo do ex-governador Raimundo Colombo (PSD), e o MDB de seu vice se divorciaram para a disputa do governo deste ano. O PSD lançou Gelson Merisio, enquanto os emedebistas apostam em Mauro Mariani.

Colombo, que entrou na mira da Lava Jato sob suspeita de receber dinheiro da Odebrecht via caixa dois de campanha em troca de vantagens, deixou o cargo em abril deste ano para concorrer ao Senado. Ele nega as acusações. Seu vice, Eduardo Pinho Moreira, do MDB, assumiu o governo no início de abril.

A fratura entre o PSD do governador e o MDB de seu vice já havia ficado evidente no ano passado, quando deputados estaduais e prefeitos passaram a criticar o governo de Colombo acusando-o de beneficiar cidades comandadas pelo PP em convênios estaduais.

O PP chegou a lançar Esperidião Amin a candidato ao governo, mas desistiu da iniciativa para apoiar o candidato do PSD, Gelson Merisio, cuja chapa conta com 15 partidos. Amin, que foi prefeito de Florianópolis (1975-1978 e 1989-1990) e governador do estado por duas vezes (1983-1987 e 1999-2003), irá disputar uma vaga no Senado.

Enquanto isso, o MDB acabou se aliando ao PSDB, que anteriormente havia anunciado como candidato Paulo Bauer, que já foi vice-governador de Santa Catarina. Ele também recuou e irá concorrer ao Senado.

Todos querem o Senado

O Senado acabou se tornando a vaga mais cobiçada pelos medalhões da política catarinense. Concorrem ao cargo, entre outros, Raimundo Colombo (PSD), Esperidião Amin (PP), Ideli Salvatti (PT) e Paulo Bauer (PSDB). Duas vagas serão preenchidas em Santa Catarina neste ano.

Conheça os candidatos ao governo de Santa Catarina:

Ângelo Castro (PCO), pedagogo
Vice: Flávio Amaral (PCO)

Continua após a publicidade

Carlos Moisés da Silva (PSL), bombeiro da reserva
Vice: Daniela Reinehr (PSL)

Jessé Pereira (Patriota), ex-vendedor ambulante
Vice: Danny Jumes (Patriota)
Coligação: Patriota, PMN

Rogério Portanova (Rede), professor universitário
Vice: Regina Santos (Rede)

Décio Lima (PT), ex-prefeito de Blumenau e ex-deputado federal
Vice: Alcimar de Oliveira (PT)

Mauro Mariani (MDB), ex-deputado federal
Vice: Napoleão Bernardes (PSDB)
Coligação: MDB, PSDB, PR e PPS, PTB. PTC, PRTB, DC e Avante

Gelson Merisio (PSD), ex-deputado estadual
Vice: João Paulo Kleinübing (DEM)
Coligação: PSD, PP, PSB, DEM, PDT, Podemos, Solidariedade, PRB, PSC, Pros e PHS, PV, PRP, PPL e PCdoB

Ingrid Assis (PSTU), professora e dirigente sindical
Vice: Ederson da Silva (PSTU)

Leonel Camasão (PSOL), jornalista e dirigente sindical
Vice: Carol Bellaguarda (PCB)
Coligação: PSOL, PCB

Continua após a publicidade
Publicidade