Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Discurso de Temer abre assembleia da ONU nesta terça

Em sua última participação no encontro, brasileiro deve destacar acolhida do país aos imigrantes venezuelanos

Por Da redação Atualizado em 25 set 2018, 08h23 - Publicado em 25 set 2018, 08h12

A três meses de deixar o poder, o presidente Michel Temer discursa nesta terça-feira pela última vez na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York, nos Estados Unidos. Como é tradição, a fala do governante brasileiro vai abrir o encontro de países-membros da organização. Em seguida, acontece o aguardado discurso do mandatário americano, Donald Trump.

Temer deve subir ao púlpito por volta das 9h locais (10h de Brasília).

Por causa da viagem do emedebista aos Estados Unidos, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, assumiu a Presidência da República. O magistrado substituiu Temer porque os políticos na linha de sucessão, o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o presidente do Senado Eunício Oliveira (MDB-CE), são candidatos à reeleição e corriam o risco de ficar inelegíveis caso assumissem o comando interino do Executivo.

Em sua agenda no exterior, Temer se reuniu com empresário na segunda, em evento promovido pela Câmara do Comércio dos EUA, e nesta terça, além do discurso, tinha encontros marcados com o secretário-geral da ONU, António Guterres, com o presidente da Colômbia, Iván Duque, e uma reunião com chefes de Estados dos países do Mercosul. O emedebista retorno ao país na tarde desta terça.

  • Discurso

    Em sua fala da abertura da Assembleia Geral, o brasileiro deve abordar a questão do êxodo de venezuelanos nas Américas e ressaltar a preocupação de seu governo no acolhimento adequado e tratamento humanitário aos imigrantes. O presidente lembrará também que o Brasil foi um dos primeiros países integrantes do Comitê Executivo da Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

    (Com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade