Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dilma, sobre vaias e xingamentos: ‘Não vou me intimidar’

Diante de militantes petistas, presidente comentou o episódio em que foi hostilizada durante o jogo de abertura da Copa, nesta quinta-feira

A presidente Dilma Rousseff falou nesta sexta-feira a respeito das vaias e xingamentos recebidos na tarde desta quinta em São Paulo, durante a abertura da Copa do Mundo no estádio Itaquerão. Em cerimônia em Brasília, a presidente afirmou que não se abate com a reprovação demonstrada pelos torcedores presentes à arena paulista. “Não são xingamentos que vão me intimidar, atemorizar. Não me abaterei”, disse a presidente.

Antes de comentar os xingamentos, Dilma aproveitou o discurso para atacar seus críticos – e, mais uma vez, ignorou as falhas na preparação do país para o Mundial. “Depois que superamos isso, enfrentamos os obstáculos, encaramos os problemas, demos a volta por cima. Não vou me deixar atemorizar por xingamentos que não podem sequer ser escutados pelas crianças e pelas famílias”, afirmou.

A presidente também afirmou que as ofensas proferidas pelos torcedores no Itaquerão não representam o que pensa a população do país. “O povo brasileiro não pensa assim e, sobretudo, o povo brasileiro não se sente da forma como esses xingamentos expressam. O povo brasileiro é civilizado e extremamente generoso e educado. Podem contar que isso não me enfraquece. Podem contar”, afirmou. Dilma ainda fez menção ao período militar, durante o qual foi presa e torturada: “Não suportei apenas agressões verbais. Foram agressões físicas quase insuportáveis, e nada me tirou do meu rumo. Nada tirou de mim os compromissos que assumi ou os caminhos que tracei para mim”, afirmou.

O discurso desta sexta foi feito durante a cerimônia de inauguração da primeira etapa do Expresso DF, um novo sistema de transporte construído pelo governo do Distrito Federal com recursos do governo federal. O projeto tem um custo total de 761,4 milhões de reais. A plateia presente era controlada – e bastante amigável à presidente: apenas autoridades, funcionários da obra e militantes petistas tiveram acesso ao local. Justamente por isso, Dilma foi ovacionada ao subir para discursar.

A presidente não discursou durante a abertura da Copa justamente para evitar vaias. Mas, mesmo sem usar a palavra, a presidente foi hostilizada antes, durante e depois do jogo em que o Brasil derrotou a Croácia por 3 a 1.