Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Dilma promete 6 mil creches, mas só entrega sete

Rendimento na metade do mandato ficou abaixo de 1%; Educação é a área com mais atraso nas metas

Por Da Redação 17 dez 2012, 08h50

A presidente Dilma Rousseff prometeu entregar 6.000 creches até 2014, mas chega na metade do mandato com apenas sete unidades prontas – uma execução abaixo de 1% – e sem previsão de quando serão inauguradas novas unidades. A expectativa de quem tem urgência em matricular os filhos vira decepção.

A primeira meta do Plano Nacional de Educação (PNE) é “ampliar, até 2020, a oferta da educação infantil de forma a atender 50% da população de até três anos”. Segundo pesquisa do Dieese em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres, apenas 18% das 10 milhões de crianças em idade de creche estavam matriculadas no ano passado. Para suprir a demanda, seriam necessárias cerca de 19.000 unidades, mais do que as 6.000 prometidas.

Leia também:

A ‘herança’ de Lula que atormenta o segundo ano de Dilma

Com dados oficiais repassados pelos ministérios, foram comparadas as promessas de campanha feitas em 2010 pela presidente Dilma Rousseff com a execução atual dos programas em dez áreas da administração federal. Em novembro, a presidente disse haver 3.019 creches em construção. De acordo com o MEC, no entanto, são 1.140 em construção, 1.342 em planejamento, 503 em fase de licitação, dezessete paralisadas momentaneamente (os motivos não foram informados), além de dez cujos projetos são reformulados. Nenhuma delas deve ficar pronta nos próximos meses, segundo o ministério. Somando-se esses números as sete creches já entregues, chega-se à quantidade destacada pela presidente.

Continua após a publicidade

Educação é a área com mais atraso nas metas. Segundo o levantamento, apenas 11,4% das promessas da presidente para o setor foram colocadas em prática até agora. Também não há previsão de cumprir a promessa de destinar 7% do PIB para a educação – hoje, são 5,1%.

Desempenho – As cinco áreas que tratam diretamente do bem-estar social (Cidades, Saúde, Segurança, Educação e Desenvolvimento Social) – responsáveis pelas marcas do governo, como Minha Casa, Minha Vida II, Brasil Sem Miséria, Brasil Carinhoso, Bolsa Família, Saúde da Família e Farmácia Popular – apresentam rendimento abaixo dos 50%. Os ministérios afirmam não ser possível analisar os números friamente. Juntos, cumpriram 41,3% das promessas feitas em 2010.

Já uma análise conjunta desses setores e de todas as 31 promessas aponta que 53% dos compromissos foram executados. O bom desempenho, contudo, é puxado por áreas como meio ambiente, comunicação e energia, todos com 100% das metas cumpridas.

As metas não cumpridas são de conhecimento do Palácio do Planalto, que acompanha diariamente 45 projetos do governo. A ideia é não deixar que os atrasos tidos como “regra do jogo” pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, abalem a fama de boa gestora de Dilma, propagada pelo governo.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês