Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dilma enfrenta protestos em visita a Belo Horizonte

Presidente observa obras da cidade para a Copa enquanto operários em greve reivindicam melhores salários para tocar obra do estádio

A 1 000 dias da Copa do Mundo 2014, a presidente Dilma Rousseff visitou as obras do Mineirão, em Belo Horizonte (MG) para o evento, alheia às manifestações de operários que cruzaram os braços nesta sexta-feira. Uma das sedes dos jogos no Brasil, a cidade é uma das cotadas para sediar a abertura.

Sob a proteção de seguranças e afastada do local de protestos, Dilma observou a revitalização do estádio acompanhada dos ministros do Esporte, Orlando Silva, das Cidades, Mário Negromonte, e do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, além do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, e de Pelé, embaixador da Copa 2014. “A Copa do Mundo é o momento de afirmação de um país, de sua capacidade de organizar um dos maiores eventos, não só porque o Brasil é um permanente apaixonado por futebol, mas hoje, até por contribuição do nosso rei Pelé, um evento internacional”, afirmou a presidente.

Os 1 100 trabalhadores da obra iniciaram uma greve nesta semana reivindicando que os salários sejam equiparados aos dos operários que trabalham nas obras do estádio Itaquerão, na zona leste de São Paulo. Muitos protestaram próximo ao local onde a presidente estava, mas alguns deixaram a paralisação de lado para entregar uma camiseta da seleção brasileira com o número 1 000 a Dilma. As obras no estádio Mineirão têm custo estimado de 743,4 milhões de reais e seguem o modelo de gestão compartilhada entre o governo estadual, empresas privadas e os clubes da cidade.

Em seguida, a presidente visitou as obras do Trânsito Rápido de Ônibus (TRO) Antonio Carlos, um veículo mais ágil parecido com o metrô, também na capital mineira. Ao chegar à prefeitura da cidade, Dilma encontrou mais manifestantes, dessa vez funcionários dos Correios em greve que reclamaram da medida provisória recém-aprovada no Congresso que modifica a estrutura da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

Anúncio – A presidente anunciou o repasse de 3,16 bilhões de reais do PAC Mobilidade Grandes Cidades para a região metropolitana de Belo Horizonte. Do total de recursos, 2 bilhões virão do governo federal – sendo 1 bilhão do Orçamento da União e 1 bilhão em forma de financiamento público -, e 1,147 bilhão dos governos estadual e municipal. A verba destina-se a reformas e criação de linhas do metrô da cidade e em sete municípios da região. “Continuar investindo pesadamente em obras de infraestrutura é parte da nossa estratégia para garantir que o Brasil mantenha o desenvolvimento em ritmo adequado, é uma maneira de dizer não à crise internacional que afeta os países da zona do euro e os Estados Unidos”, comentou Dilma.

Na tarde desta sexta, Orlando Silva irá responder dúvidas de internautas sobre a Copa de 2014 por meio de um vídeo ao vivo transmitido pelo Twitter. O ministro deve lançar oficialmente o site do governo que registra o passo a passo das obras para o evento e fazer um balanço do que já foi feito.

Viagem – Após a visita a Minas Gerais, Dilma voltou para Brasília. Às 16h ela participa da cerimônia de posse do novo ministro do Turismo, Gastão Vieira, que assumiu a pasta após o antecessor, deputado federal Pedro Novais, pedir demissão. No sábado, a presidente segue para Nova York, nos Estados Unidos. Em sua primeira viagem como presidente ao país comandado por Barack Obama, Dilma abrirá a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Ela ficará na cidade até a próxima quinta-feira.