Clique e assine a partir de 8,90/mês

Derrotado nas eleições, Jucá declara que MDB quer presidência do Senado

Senador por Roraima disse que não conversará com Bolsonaro sobre cargos

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 7 nov 2018, 17h51 - Publicado em 7 nov 2018, 15h44

O presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá (RR), afirmou nesta quarta-feira, 7, que o partido quer manter a presidência do Senado, hoje ocupada por Eunício Oliveira (MDB-CE), que não foi reeleito no pleito deste ano. Renan Calheiros (MDB-AL) é um dos cotados para disputar a vaga mas, em entrevista a Veja nesta semana, afirmou que não cogita concorrer novamente ao posto. Pelo Twitter, Jucá, que também perdeu a reeleição neste ano, afirmou que o nome será definido após meados de janeiro.

“O MDB será a maior bancada do Senado e vamos trabalhar para fazer o próximo presidente da Casa. Não seremos caudatário de ninguém” escreveu Jucá pelo Twitter. “O partido não terá definição de nome para a presidência do Senado até meados de janeiro, mas queremos manter a presidência do Senado. Mas isso ainda será definido. Não é agora”, completou.

Continua após a publicidade

Além disso, o senador declarou que o MDB não está conversando com o novo governo e que não pretende conversar com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre cargos. Na terça-feira, Renan Calheiros evitou dizer se será oposição ou não e fez acenos a Bolsonaro dizendo que pode colaborar em questões de economia no novo governo.

“O partido não está conversando com o novo governo, não vai conversar com o novo governo sobre cargos. O MDB vai se posicionar pela democracia, pelas liberdades individuais e coletivas”, finalizou Jucá.

Continua após a publicidade
Publicidade