Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Deputados aprovam reajuste de 61% para si mesmos

Projeto aprovado pela Câmara dos Deputados eleva os rendimentos de parlamentares, ministros e presidente ao teto do funcionalismo

Por Gabriel Castro 15 dez 2010, 14h51

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, em votação simbólica, a proposta que reajusta o salário de parlamentares, do presidente da república, do vice-presidente e de ministros para 26,7 mil reais – valor recebido pelos ministros do Supremo Tribunal Federal, o atual teto do funcionalismo público. A matéria segue para o Senado, que também deve aprovar a medida ainda nesta quarta-feira.

A aprovação se deu graças a uma articulação entre as lideranças de todos os partidos – exceto o PSOL. Por 279 votos a favor, 35 contra e 3 abstenções, os deputados haviam aprovado a tramitação do texto em regime de urgência, o que deu celeridade à aprovação.

O reajuste corresponde a um aumento de 61% para os paralmentares, que hoje recebem 16,5 mil reais. A medida pode criar um efeito cascata, já que o salário dos deputados estaduais e dos vereadores é vinculado ao dos federais.

Segundo a Confederação Nacional dos Municípios, o impacto com o possível reajuste nas câmaras de vereadores pode chegar a 1,8 bilhão em 2011. Para evitar essa consequência, parlamentares articulam a elaboração de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que ponha fim à vinculação.

Continua após a publicidade
Publicidade