Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Deputada do PT diz que evangélicos vão surpreender com voto velado em Lula

Integrante da Frente Parlamentar Evangélica, Benedita da Silva diz que muitos fiéis votarão contra a orientação de lideranças da Igreja ligadas a Bolsonaro

Por Lucas Vettorazzo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 30 set 2022, 15h19 - Publicado em 30 set 2022, 14h25

A deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) diz acreditar que há um percentual maior de evangélicos que votarão em Lula (PT) do que tem sido expresso nas pesquisas mais recentes. Segundo ela, no sigilo da urna, muitos fiéis depositarão o voto no petista contra a orientação de pastores, majoritariamente apoiadores de Jair Bolsonaro (PL). De acordo com o Datafolha desta quinta-feira, 29, Bolsonaro tem 50% entre os evangélicos contra 30% do petista, que teve uma queda de 2 pontos em relação à pesquisa da semana passada, enquanto o presidente se manteve estável.

Quadro tradicional do PT do Rio, a ex-governadora e deputada federal por cinco mandatos pelo Estado é também integrante da Assembleia de Deus desde os anos 1970. Como deputada, ela faz parte da Frente Parlamentar Evangélica do Congresso que, atualmente, reúne mais apoiadores de Jair Bolsonaro do que opositores, como é o seu caso. Durante agenda com Lula no Rio nesta sexta-feira, 30, Benedita disse acreditar que o discurso bolsonarista não encontra aderência no povo evangélico, principalmente quando ele está fora das igrejas, longe da interferência dos pastores.

Segundo a deputada, a retórica do presidente é ofensiva para os fiéis, sobretudo os mais pobres, que são maioria nas denominações pentecostais, e as mulheres. Ela disse que o país terá “uma surpresa na urna” no próximo domingo no que diz respeito ao voto evangélico e que não é para dar como ganha a disputa deste eleitorado por Bolsonaro. “Os evangélicos vão dar uma surpresa [nessa eleição]. Os grandes líderes são, sim, pró-Bolsonaro, mas a maioria das igrejas pentecostais é de gente humilde, favelado. O voto é secreto e a cada dia mais as coisas aumentam [em favor de Lula], principalmente entre nós, mulheres evangélicas, que, fora da Igreja, temos filhos na prisão, filhos LGBTQI, enfim. Depois do debate de ontem, ficou ruim para o Bolsonaro chamar o Lula de ex-presidiário. As famílias evangélicas sabem o que está acontecendo dentro dos presídios”, disse ela.


Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.