Clique e assine a partir de 9,90/mês

Deputada do PDT diz que não será vice de Paes à Prefeitura do Rio

Ex-chefe de Polícia Civil do governo Cabral, Martha Rocha afirma a VEJA que possibilidade de aliança com ex-prefeito é 'inadmissível'

Por Cássio Bruno - Atualizado em 30 jan 2020, 17h58 - Publicado em 30 jan 2020, 17h48

Pré-candidato a prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), não terá a deputada estadual Martha Rocha (PDT) como vice em sua chapa. O ex-prefeito sonhava com a dobradinha. Em entrevista a VEJA, a parlamentar afirmou que concorrerá ao cargo. Martha era cobiçada também pelo deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) para a mesma vaga, mas ela descartou.

“Essa hipótese (ser vice de Eduardo Paes) é inadmissível. Não serei vice de ninguém. Não falei com o Eduardo”, disse a deputada, que é delegada e foi chefe de Polícia Civil no governo de Sérgio Cabral, preso na Operação Lava Jato.

Em janeiro do ano passado, Martha Rocha foi alvo de tiros. Desde então, a parlamentar anda com escolta e carro blindado. O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, confirmou a pré-candidatura de Martha Rocha à Prefeitura do Rio. Em 2022, Ciro Gomes será o candidato do PDT à Presidência da República.

“Não falo com ele (Eduardo Paes) desde outubro do ano passado. A candidatura (de Martha) é irreversível”, reforçou Lupi a VEJA.

Continua após a publicidade

Assim como Paes, Freixo fracassou para ter Martha Rocha em seu palanque. Depois da recusa da deputada, ele poderá ter como vice um nome indicado pelo PT do ex-presidente Lula. A ex-governadora e deputada federal Benedita da Silva seria um dos nomes. Mas uma ala petista defende que ela concorra na cabeça de chapa, sem o PSOL.

Na última pesquisa Datafolha, divulgada em dezembro, Martha Rocha aparece com 7% das intenções de voto. Está atrás de Eduardo Paes, com 22%; Marcelo Freixo, 18%; e do atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), que registrou 8%.

Publicidade