Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Decisão sobre prisão de Aécio é adiada mais uma vez pelo STF

Relator do caso, ministro Marco Aurélio Mello atendeu pedido da defesa do tucano e remarcou julgamento para o próximo dia 26

O Supremo Tribunal Federal (STF) retirou de pauta e não julgou nesta terça-feira o pedido de prisão contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), apresentado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) durante a gestão de Rodrigo Janot. A decisão foi tomada pelo relator do processo, o ministro Marco Aurélio Mello, por solicitação da defesa do tucano.

A nova data para a análise do pedido é o próximo dia 26, quando os magistrados ainda precisarão decidir qual o foro em que o caso será julgado. Em manifestação a Corte, Janot defendeu que a prisão seja analisada pela 1ª Turma do STF, à qual pertence Marco Aurélio. A defesa de Aécio apresentou um recurso ao ministro para que o caso vá para o plenário, composto pelos onze ministros do tribunal.

Para o ex-procurador-geral, o caso do tucano é idêntico ao do ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), preso em flagrante em 2015 após ser gravado tentando comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró em diálogo com o filho deste, Bernardo Cerveró. Em delação premiada, o empresário Joesley Batista entregou um áudio de uma conversa com o mineiro em que ele trata de um repasse de dois milhões de reais que, segundo o empresário, configura pagamento de propina. O senador alega que tentava vender para Joesley um apartamento pertencente à sua mãe.

No ato da deflagração da Operação Patmos, que tinha o senador como alvo, o ministro Edson Fachin negou a prisão, mas afastou o tucano do Senado. Com a mudança de relator, uma vez que foi considerado que o caso não tem relação com os fatos investigados pela Operação Lava Jato, Marco Aurélio Mello herdou a ação e acatou recurso para que Aécio pudesse reassumir o cargo. Apesar da conclusão do mandato de Janot, a nova procuradora-geral, Raquel Dodge, não pode mudar o posicionamento original do antecessor e deve reiterar ao Supremo o pedido pela prisão.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Marcos Duque

    Se o caso é idêntico ao de Delcídio, mas não prendem o senador Aécio, o primeiro deveria processar o STF — isso mesmo, processar a “Suprema Corte” — por discriminação. É uma vergonha!

    Curtir

  2. sinesio gimene

    o STF é outro que só trabalha em favor de bandidos, os bandidos do STF PROTEGENDO os bandidos politicos, caça aos bandidos do STF

    Curtir

  3. sinesio gimene

    processar nao , fuzilar mesmo, estes bandidos do STF trabalham em favor de bandidos politicos, pena de morte aos bandidos do stf, eles nao merecem estar lá. eles nao representa a instituiçaõ é uma vergonha estes bandidos estarem lá

    Curtir

  4. Tem coisa aí! Esse traficante solto é um acinte. E esse STF uma piada.

    Curtir

  5. Jorge Fontes

    O caso é idêntico, mas quando o político é do PT, o Judiciário em geral tende a ser mais rigoroso. É nítido que a Justiça Brasileira sempre foi elitista, por isso existe essa discriminação e perseguição histórica a partidos populares..

    Curtir