Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Da minha parte está definido’, diz Bolsonaro sobre filho em embaixada

Ele ressaltou que 'tem um caminho grande pela frente' e revelou ter conversado com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), sobre a indicação

O presidente Jair Bolsonaro disse na tarde desta terça-feira, 15 que, da parte dele, ‘está definido’ que seu filho Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL-SP, será nomeado embaixador do Brasil nos EUA. A possibilidade vem gerando reações negativas até mesmo dentro da base aliada e entre os bolsonaristas nas redes sociais.

“Da minha parte está definido. Conversei com ele (Eduardo) novamente acho que anteontem (domingo). Há interesse, sim. A gente fica preocupado, até entendo a responsabilidade. Acho que, se tiverem argumentos contrários, que não seja isso chulo que se fala por aí, então, pronto”, afirmou.

Antes, o presidente já havia defendido por duas vezes ao longo do dia a nomeação do filho para um dos mais importantes cargos da diplomacia brasileira. De manhã, ao chegar à cerimônia de hasteamento da bandeira nacional no Palácio da Alvorada, ele elogiou o filho: “Fala inglês, fala espanhol, tem uma vivência internacional muito grande”, elencou. Em seguida, brincou ao citar uma declaração do próprio Eduardo na sexta-feira, ao destacar sua experiência nos Estados Unidos. “E frita hambúrguer também, tá legal?”

Depois, em outro evento, reafirmou a intenção de indicar o filho ao cargo, apesar de destacar que há ainda um grande caminho pela frente. “Ou vocês queriam que eu indicasse o meu filho para a Venezuela, Cuba, Coreia do Norte?”, questionou o presidente.

De acordo com ele, faltam algumas questões técnicas para que a indicação seja formalizada. “Tem um caminho grande pela frente. Há um termo técnico com os Estados Unidos para ver se eles têm algo contra, tem que falar com o Parlamento”, afirmou.

Senado

O presidente disse também que não haverá desgaste com o Senado e contou que já conversou sobre o tema com o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Se Eduardo Bolsonaro for indicado, os senadores terão que aprovar a sua ida para o comando da representação diplomática.

Segundo Bolsonaro, Alcolumbre lhe disse que ainda não conversou com os parlamentares. “O Senado vai sabatiná-lo e vai decidir. Ponto final. Se aprovado, vai. Se não for aprovado, ele fica na Câmara. (…) Lógico que se corre um risco”, disse o presidente. Bolsonaro ressaltou ainda que o deputado tem experiência com palestras realizadas em outros países, nas quais teria tido que falar em outros idiomas, e com a presidência da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. “É uma pessoa que está muito qualificada, o que é importante”, disse.

Bolsonaro repetiu que, se o filho de outro presidente fosse embaixador no Brasil, teria um tratamento diferenciado, recebendo mais atenção dele próprio. “Se eu fosse um mau-caráter, indicaria ele para um ministério desses que vocês sabem que tem dezenas de milhões de orçamento. A intenção não é essa, é nos aproximarmos do país que tem a economia mais próspera do mundo para que possamos juntos andar de mãos dadas”, disse.

Para Bolsonaro, seu filho perderá muito mais ao deixar o cargo de deputado federal para virar embaixador. “Mas toda a população vai ganhar”, ponderou.

Nepotismo

O presidente voltou a dizer que a indicação não configura nepotismo e disse que há uma súmula do Supremo Tribunal Federal (STF) neste sentido. “Graças a Deus, como capitão do Exército, tive como lhe dar uma boa educação e a prova está aí. Tentar desqualificá-lo por fritar hambúrguer… eu frito hambúrguer melhor que ele, talvez por isso que eu seja presidente”, disse. Bolsonaro afirmou ainda que o filho foi “fritar hambúrguer” nos Estados Unidos para praticar o inglês.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Bandarra

    Um sem noção.

    Curtir

  2. Otavio Tallarico

    Eduardo : Vai lá fritar hamburguer pra ver o que acontece…. kkkkkkkkkkkkkkk

    Curtir

  3. Otavio Tallarico

    Isto é um tapa-na-cara naqueles brasileirinhos que ralaram uma vida inteira de preparo e estudo para tentar algum cargo diplomático. O único defeito desse pessoal é não ser um filho de Presidente

    Curtir