Clique e assine com 88% de desconto

Cunhada de tesoureiro do PT é alvo de operação da PF

Marice de Lima, cunhada de João Vaccari Neto, teria recebido 110.000 reais do esquema operado por Youssef. Ela é mencionada por intermediário da OAS

Por Gabriel Castro, de Brasília - 14 nov 2014, 12h52

Entre as pessoas conduzidas coercitivamente para prestar depoimento à Polícia Federal nesta sexta-feira, em mais uma etapa da Operação Lava Jato, está Marice Correa de Lima, citada pelos investigadores como cunhada do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

Leia também:

PF prende afilhado de Dirceu e executivos de empreiteiras

Saiba quais são as empreiteiras na mira da PF

Publicidade

Trocas de mensagens obtidas durante as investigações mostram que José Ricardo Nogueira Breghirolli, contato da empreiteira OAS com o doleiro Alberto Youssef, determinou a entrega de 110.000 reais a Marice na casa dela, em São Paulo, em dezembro de 2013. Apesar de negar o pedido de prisão apresentado pelo Ministério Público, o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou a condução coercitiva de Marice para que ela preste depoimento sobre o caso.

Marice Correa é filiada ao PT paulista e trabalha na Confederação Sindical de Trabalhadores das Américas, um órgão ligado à CUT. Na época do mensalão, Marice já havia sido mencionada como responsável por fazer uma entrega de 1 milhão de reais à Coteminas como parte do pagamento de uma dívida de caixa dois de campanha. Ela era coordenadora administrativa do PT na ocasião.

Publicidade