Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CPI do Cachoeira está instalada

Requerimento de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito foi lido em plenário nesta quinta-feira. Indicação dos membros se dará até a noite de terça

A CPI do Cachoeira foi oficialmente instalada na manhã desta quinta-feira. O primeiro-secretário do Congresso, deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO), leu o requerimento que pede a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito. A presidente em exercício do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), definiu que os partidos devem indicar seus integrantes para o colegiado até terça-feira da semana que vem, às 19h30.

Depois da contagem oficial, foram conferidas 72 assinaturas de senadores e 337 de deputados. Em tese, os parlamentares podem retirar seus nomes até a meia-noite de hoje. Mas não há chance de a comissão ser enterrada. O perigo é outro: o direcionamento da investigação graças à maioria avassaladora da base governista.

Também nesta quinta-feira, o PMDB indicou dois deputados para compor a comissão: Luiz Pitman (DF) e Íris de Araújo (GO). Ambos têm interesses regionais na CPI. Pittman é rival do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. Íris faz oposição ao tucano Marconi Perillo em Goiás. A escolha peemedebista revela também que o partido não vê a CPI como prioridade. Os dois parlamentares indicados até agora fazem parte do baixo clero da bancada.

Pittman e Íris se juntam a outros nomes anunciados: os senadores Alvaro Dias (PSDB-PR), Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Jayme Campos (DEM-MT) e Randolfe Rodrigues (PSOL). Na Câmara, a tarefa já foi designada aos deputados Domingos Sávio (PSDB-MG), Carlos Sampaio (PSDB-SP), Fernando Francischini (PSDB-PR), Rogério Marinho (PSDB-RN), Onyx Lorenzoni (DEM-RS), Mendonça Prado (DEM-SE), Rubens Bueno (PPS-PR), Maurício Quintela Lessa (PR-AL) e Ronaldo Fonseca (PR-DF).

PT e PMDB dividirão a presidência e a relatoria da comissão. Os partidos aliados terão 80% dos cargos da CPI, que será composta por 30 titulares e 30 suplentes, metade da Câmara, metade do Senado. A comissão investigará a atuação da quadrilha do contraventor Carlinhos Cachoeira, chefe da máfia que controlava os caça-níqueis em Goiás.