Clique e assine a partir de 9,90/mês

Contas de Carlos Bolsonaro nas redes sociais saem do ar

Perfis no Twitter, Instagram e Facebook aparecem como indisponíveis para outros usuários

Por Leonardo Lellis - Atualizado em 12 nov 2019, 11h22 - Publicado em 12 nov 2019, 09h25

Os três perfis em redes sociais do vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), amanheceram fora do ar nesta terça-feira, 12.

Atuante nas redes sociais, as contas de Carluxo, como também é conhecido o filho Zero Três, no Twitter e Instagram e Facebook aparecem como indisponíveis para outros usuários. 

A reportagem apurou que a remoção das contas não se deu por iniciativa do Facebook, Instagram e Twitter, que têm a política de aplicar penalidades em caso de violação das regras de uso.

As publicações de Carluxo na internet já renderam algumas crises no governo e a demissão de dois ex-ministros: Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral da Presidência) e o general Santos Cruz (Secretaria de Governo), que foram alvos de ataques do vereador.

Continua após a publicidade

Carlos é o principal estrategista do do pai na comunicação digital e sobre ele exerce grande influência. Bolsonaro já reputou a força que tem nas redes e afirmou, depois das eleições, que o filho é “fera nas mídias sociais”.

Recentemente, o vereador admitiu ter usado a conta oficial do presidente no Twitter fazer uma comentário sobre a prisão em segunda instância, enquanto o assunto ainda era debatido no Supremo Tribunal Federal. Após apagar o tweet, pediu desculpas.

O vereador gerou tensão institucional ao dizer, em setembro, que “por vias democráticas, a transformação que o Brasil quer não acontecerá” na velocidade que o governo planeja.

Carlos também é ligado ao chamado “gabinete do ódio”, acusado de operar de dentro do Palácio do Planalto contra desafetos. Entre as funções que o grupo exerce no governo está a atualização das redes sociais da Presidência da República.

Continua após a publicidade

Os três integrantes do grupo, os assessores Tércio Arnaud Tomaz, José Matheus Sales Gomes e Mateus Matos Diniz foram convocados para depor na CPI das Fake News, que investiga a disseminação de notícias falsas nas eleições de 2018.

De acordo com o Radar, políticos do Rio de Janeiro avaliam que a saída de Carlos das redes tem relação com a CPI das fake news e acusações feitas por Joice Hasselmann sobre a atuação do filho do presidente com perfis falsos nas redes.

Publicidade