Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Condenado por estupro, irmão de Garotinho vira deputado federal

Suplente, Nelson Nahim (PSD-RJ) assume vaga de Índio da Costa, que se licenciou do cargo para comandar a Secretaria de Urbanismo e Habitação do Rio

Condenado a doze anos de prisão por estupro de vulnerável, coação e exploração sexual de adolescentes, o suplente de deputado Nelson Nahim (PSD-RJ) tomou posse na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira. Ele é o irmão mais velho do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR), de quem é rival político.

Nahim, que já foi deputado e presidente da Câmara Municipal de Campos de Goytacazes (RJ), assume a vaga no lugar do deputado Indio da Costa (PSD-RJ), que se licenciou do cargo para comandar a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação na gestão Marcelo Crivella (PRB).

Nahim chegou a ficar preso de junho a outubro do ano passado no âmbito do processo que ficou conhecido como “Meninas de Guarus”, conduzido pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Ele foi solto graças a um habeas corpus concedido pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, em 18 de outubro de 2016, que o autorizou a recorrer em liberdade. Além de Nahim, outras treze pessoas foram condenadas, entre empresários e políticos locais, pela juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, da 3ª Vara Criminal de Campos. Antes dela, dezessete magistrados se declararam suspeitos para julgar o caso.

Segundo as investigações da promotoria, crianças e adolescentes, entre 8 e 17 anos, eram mantidas numa casa de prostituição em Guarus, distrito de Campos. As portas e janelas do local permaneciam fechados e as menores de idade eram forçadas a ingerir drogas, como cocaína, crack e ecstasy, para terem relações sexuais com os réus.

Nahim sempre negou as acusações, dizendo que não manteve relacionamento com nenhuma vítima. A reportagem do site de VEJA ligou para seu gabinete, mas ninguém atendeu. O seu advogado também não foi localizado.

Em 2010, o agora deputado, que era presidente da Câmara, chegou a assumir interinamente a prefeitura de Campos no lugar da mulher de Garotinho, Rosinha Garotinho, que na época foi afastada com o seu vice, Francisco Arthur de Souza Oliveira, pela Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

Em nota, Garotinho frisou que está afastado do seu irmão há seis anos, “com quem, inclusive, não mantém relações políticas”. “O ex-governador lembra que Nahim fez campanha, em 2014, para o atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), contra quem Garotinho concorria na eleição para o Palácio Guanabara. Na época, Nahim foi, inclusive, um dos coordenadores da campanha de Pezão no norte do Estado. Garotinho acrescenta que repudia o crime de pedofilia cometido por qualquer pessoa”, diz o texto enviado pela assessoria do ex-governador.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Vindo do Lewiandovsc nada surpreende. Não pode ver um bandido preso que se coço para soltar.

    Curtir

  2. Lazaro Siqueira

    Quem mais, além de um grotesco petista, poderia ser a liberar um estuprador? Lewandoski é uma vergonha para a humanidade. Pois é uma aberração da natureza em um travestido aspecto de ser humano.

    Curtir

  3. aumirc3@.com Constatino

    Boa tarde nós brasileiros estamos sempre sozinho e um absurdo essa nossa leis um cara desse tinha que ter vergonha de olhar para as filhas dele

    Curtir