Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Comitiva para canonização da Irmã Dulce leva ao menos 35 ao Vaticano

Por estarem em missão oficial, parlamenteres têm direito ao pagamento de diárias de cerca de 400 dólares durante viagem

Por Leonardo Lellis - Atualizado em 10 out 2019, 16h25 - Publicado em 10 out 2019, 15h47

Entre autoridades, parlamentares e convidados, pelo menos 35 pessoas vão integrar a comitiva brasileira que irá acompanhar a cerimônia de canonização da Irmã Dulce, que será realizada pelo Papa Francisco no próximo domingo, 13, no Vaticano. Os voos da Força Aérea Brasileira que levarão os presidentes dos poderes, que têm prerrogativa de viajar em aeronaves oficiais, saem nesta quinta-feira, 10, de Brasília — por questão de seguranção, eles não podem ir juntos.

O governo brasileiro será representado pelo vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) já que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) decidiu não ir à cerimônia na sede da Igreja Católica — que abriga nesta semana o Sínodo da Amazônia, em que religiosos discutem a situação da igreja na região e assuntos ligados ao meio ambiente e aos povos indígenas.

Mourão vai acomapnhado da esposa, Ana Paula Leandro Mourão, e dividirá o mesmo voo da FAB com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e sua esposa, Liana Andrade. O senador autorizou que integrassem a missão oficial os colegas Jaques Wagner (PT-BA), José Serra (PSDB-SP), Weverton (PDT-MA), Roberto Rocha (PSDB-MA), Elmano Férrer (Podemos-PI), Ciro Nogueira (PP-PI) e Angelo Coronel (PSD-BA) — que já está na Europa em compromisso da CPI das Fake News.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) viajou a Roma em voo da FAB na manhã desta quinta, 10. Ele foi acompanhado de sua esposa, Patrícia Vasconcellos Maia, e dos deputados federais André Fufuca (PP-MA), Celio Studart (PV-CE) e Alexandre Baldy (secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo).

Publicidade

Rodrigo ainda autorizou que integrassem a missão os deputados Elmar Nascimento (DEM-BA) José Rocha (PL-BA) Daniel Almeida (PCdoB-BA), Adolfo Viana (PSDB-BA), Arthur Oliveira Maia (DEM-BA), Eduardo da Fonte (PP-BA), Flávio Nogueira (PDT-PI), Leur Lomanto Júnior (DEM-BA), Nelson Pellegrino (PT-BA) e  Paulo Azi (DEM/BA). Eles vão em voo de carreira, mas com dinheiro da cota parlamentar a que têm direito.

Também integram a comitiva o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, o procurador-geral da República Augusto Aras (acompanhado da esposa Maria das Mercês Aras), o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde), o ex-presidente da República José Sarney e o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM).

Segundo o Itamaraty, a missão ainda é composta pelo embaixador do Brasil no Vaticano, Henrique da Silveira Sardinha Pinto, e sua esposa, Cláudia Moraes. A primeira-dama de Goiás, Maria das Graças Caiado, que é baiana como Irmã Dulce, também foi autorizada a acompanhar a missão.

Por estarem em missão oficial, os parlamentares terão direito a diárias de cerca de 400 dólares durante todo o período da viagem — o retorno é previsto para a próxima segunda-feira, 14. Os presidentes da Câmara e do Senado têm a prerrogativa de ficarem hospedados na embaixada brasileira em Roma. Segundo as duas casas, as esposas que acompanherem os parlamentares terão seus gastos pagos de forma particular.

Publicidade