Clique e assine com até 92% de desconto

Começa a operar no Rio a 35ª estação de metrô

Terminal da Cidade Nova funcionará em caráter experimental até 1º de dezembro

Por Leo Pinheiro, do Rio de Janeiro 1 nov 2010, 12h48

A primeira aparição pública do governador do Rio, Sérgio Cabral, depois da definição das eleições presidenciais, foi festiva. Acompanhado do prefeito Eduardo Paes, Cabral inaugurou, na manhã desta segunda-feira, no centro da cidade, a 35ª estação de metrô da capital, na Cidade Nova. O ponto passa a ser a última estação de desembarque da linha 2 e um novo local de integração com os trens da linha 1 do metrô, beneficiando cerca de dez mil usuários por dia.

A estação, no entanto, só funcionará em horário normal – de 5h à meia-noite, de segunda à sexta-feira; e das 7h às 23h, aos domingos e feriados – a partir de 1º de dezembro. Até lá, ela será operada em caráter experimental apenas de segunda a sexta-feira, das 10h às 14h, para que sejam feitos ajustes. O horário de funcionamento será estendido gradativamente durante o mês. Neste período de testes os usuários poderão embarcar gratuitamente, pois as roletas estarão liberadas.

Com investimento de 80 milhões de reais, a nova estação se destaca por suas condições de acessibilidade: tem seis escadas rolantes, seis elevadores para pessoas com dificuldade de locomoção, piso adaptado para portadores de deficiência visual e sinalização em braile. A estação também já está preparada para permitir ligação com a Rodoviária Novo Rio, com a estação de trem da Leopoldina e com o futuro trem de alta velocidade (TAV) que ligará as capitais do Rio e São Paulo.

Na solenidade, o governador Sérgio Cabral destacou que a capacidade do metrô aumentou de 450 para 620 mil usuários por dia em seu mandato e que a meta é alcançar 1 milhão de passageiros diariamente até 2014, ano da Copa do Mundo do Brasil, que terá os jogos das fases mais importantes disputados no Rio.

Já o Prefeito Eduardo Paes exaltou a recuperação da região da Cidade Nova, que durante muitos anos esteve abandonada pelo poder público. “A Cidade Nova era nova somente no nome, ela estava antiquada e precisando de modernização. Com a construção desta estação e da passarela que beneficiará, inclusive, os funcionários da Prefeitura nós damos mais uma passo para a revitalização desta área, que está perto da Zona Portuária”, disse o prefeito exagerando: “esta não é uma passarela e sim uma alameda, uma avenida”.

Continua após a publicidade
Publicidade